Editorial: potencializar os espaços

O projeto das Casas Gêmeas, de autoria do Zoom Arquitetura e que ilustra a capa desta edição, exemplifica como a arquitetura pode ser usada para potencializar o uso de um espaço. No terreno de um antigo sobrado, o escritório concebeu duas casas geminadas e ainda incluiu pequenas diferenças nas plantas para adequá-las a cada um dos moradores. Na Casa Barra Bonita, outro projeto desta edição, Nitsche Arquitetos em parceria com o Estúdio Trópico eliminaram obstáculos visuais criando uma residência multifuncional. A configuração permite que o espaço sirva também para abrigar eventos, ampliando literal e conceitualmente o horizonte dos proprietários, chefs de cozinha.

Leia mais

Os profissionais que assinaram os projetos publicados na edição

Os profissionais que assinaram os projetos publicados na edição

Zoom Arquitetura 
O espaço público e coletivo é bastante presente nos projetos do Zoom Urbanismo Arquitetura e Design1 , atualmente envolvido com a implantação e regulamentação de parklets em São Paulo e outras cidades brasileiras. Fundado pelo arquiteto Guilherme Gambier Ortenblad (à direita), também cofundador do Coletivo Leve, o escritório opera nas áreas de urbanismo, arquitetura e design com foco na atuação e na investigação em diversas escalas de projeto. A equipe é composta por mais oito arquitetos e trabalha de maneira colaborativa para atingir, segundo eles, o “além do solicitado”, implementando projetos que, mais do que impactantes, sejam úteis em suas funções.
boom.arq.br

Leia mais

Terreno onde havia um sobrado passa a abrigar duas casas geminadas, estruturadas com passarelas cobertas e pátio central

Terreno onde havia um sobrado passa a abrigar duas casas geminadas, estruturadas com passarelas cobertas e pátio central

Um sobrado típico do bairro de Vila Madalena, em São Paulo, cedeu espaço para a construção de duas casas geminadas, em um projeto do escritório Zoom Urbanismo Arquitetura e Design. O desafio foi enfrentar a diminuta dimensão frontal do terreno, de pouco menos de 10 m, particularidade recorrente nos lotes paulistanos. Cada um dos sobrados construídos tem 165 m² de área e um programa de necessidades idêntico, para abrigar dois irmãos – daí a denominação Casas Gêmeas.

O partido adotado consiste na alternância entre áreas livres e corpos edificados, unidos por uma passarela coberta. Apesar de invólucros iguais, algumas demandas específicas dos proprietários se refletiram em pequenas diferenças em planta. Em uma das casas, há uma sala de estar ampla no térreo, espaço contínuo e único. Na outra, logo na entrada e ocupando uma parte do que seria a sala, está o consultório da proprietária, que é psicóloga. As discretas dimensões deste ambiente são compensadas pelo uso da porta de correr, integrando-o à sala e proporcionando melhor luminosidade.

Leia mais