Casa de praia com fundos para lago abre mão de muros e se organiza em volumes que criam balanços estruturais e ambientes adaptáveis

Casa de praia com fundos para lago abre mão de muros e se organiza em volumes que criam balanços estruturais e ambientes adaptáveis

Ao adquirir o lote de 483,53 m² no condomínio Enseada, em Xangri-lá, município do litoral gaúcho situado a de 130 km de Porto Alegre, o jovem casal de proprietários tinha em mente a construção de uma casa funcional, prática, com espaços amplos e integrados, onde pudesse reunir familiares e amigos nos fins de semana. De acordo com Paula Otto, sócia do escritório Arquitetura Nacional, de Porto Alegre, encarregado da elaboração do projeto, a primeira ideia sugerida pelos arquitetos foi a de abrir a casa o máximo possível para a paisagem e para o lago que corta o fundo do terreno. “A ausência de muros, uma vez que o lote faz parte de um condomínio fechado, facilitou a execução dessa ideia”, adianta a arquiteta.

Aceita a proposta inicial, os arquitetos desenvolveram o projeto da casa com o acesso principal voltado para a face Norte, de frente para a rua, mas aberta ao máximo para o fundo do lote, na face Sul, de maneira a privilegiar a visualização do lago. A composição básica projetou dois volumes principais de materiais distintos: o térreo, estruturado em aço com fechamentos em vidro protegido por brises de madeira, e o superior, de concreto estrutural.

Leia mais