Como o mobiliário corporativo vem acompanhando a evolução da forma de trabalhar

Como o mobiliário corporativo vem acompanhando a evolução da forma de trabalhar

Quais as principais mudanças nos escritórios ao longo do tempo?
ANA CRISTINA TAVARES –
 Aproximadamente, de 20 anos para cá, estamos vivendo uma transformação comportamental muito significativa. E isso se verifica, inclusive, nos meios profissionais, enquanto as pessoas estão trabalhando. Essa nova dinâmica de trabalho influencia diretamente na maneira como as pessoas se relacionam com o espaço corporativo. As grandes incorporações, que até pouco tempo apostavam em ambientes mais formais, estão se reorganizando e tentando entender o que está acontecendo no mundo, refletindo essa quebra de estereótipos no perfil de seus escritórios a fim de não perder mercado.
TERESA RICCETTI – O escritório mudou para proporcionar a integração entre os funcionários de todas as hierarquias. Esse próprio modelo de hierarquia sofreu mudanças severas e continua em constante mudança. Nasceram novos organogramas, e o espaço, assim como o mobiliário, deve acompanhar esse novo perfil de quadro de funcionários. Exigências antes focadas nas questões ergonômicas extrapolam hoje aspectos normativos e dimensionais debate para preocupações mais subjetivas, e não menos importantes, como o bem-estar das pessoas, o conforto ambiental e a saúde psicológica e emocional dos funcionários.
CIBELE TARALLI – É curioso observar que, em meio a essas mudanças no perfil das próprias empresas, vivemos o ápice da revolução dos meios digitais e eletrônicos, que funcionam como combustível para essa adaptação dos espaços. Em alguns setores a mudança ocorre de forma mais rápida, em outros não. Nas áreas em que há os conhecimentos segmentados, como a medicina e o direito, isso acontece de forma mais lenta, ao contrário de áreas mais dinâmicas, como as ligadas à comunicação ou publicidade. Olhamos, hoje em dia, muito mais para as atividades e para o ser humano.

Leia mais

Neocon 2016: flexibilidade e pontos de privacidade em projetos open space

Neocon 2016: flexibilidade e pontos de privacidade em projetos open space

O design e o futuro dos escritórios pelo mundo é debatido, visto e fotografado primeiro na Neocon, feira anual de interiores corporativos em Chicago, nos Estados Unidos, que este ano aconteceu de 13 a 15 de junho. Aqui se reúnem as principais marcas de mobiliário, pisos, forros e tecidos que ditam o que será utilizado no próximo ano. E ninguém quer ficar de fora: este ano foram 50 mil visitas nos três dias de feira, deixando os corredores do gigante Merchandise Mart e seus 372 mil m² lotados de profissionais de todo o mundo.

O FUTURO DAS ESTAÇÕES DE TRABALHO
Flexibilidade e o retorno ao fazer artesanal foram as tendências mais fortes nos principais estandes. As estações de trabalho Renew Link 1, da Herman Miller, por exemplo, – empresa que possui profissionais especializados na pesquisa sobre as necessidades em um escritório para prever o futuro do espaço de trabalho – adaptam-se à altura do usuário ou à vontade que o usuário tem de trabalhar em pé ou sentado, mesmo quando as estações fazem parte de baias.

Leia mais