Senai de São Caetano, SP, de NPC Grupo Arquitetura

Senai de São Caetano, SP, de NPC Grupo Arquitetura

Quando os arquitetos do escritório NPC Grupo Arquitetura souberam que iriam projetar em São Caetano do Sul, na região metropolitana de São Paulo, lembraram imediatamente de duas características importantes a serem consideradas. A primeira, que a cidade tem longa tradição industrial, e a segunda, que tem umas das áreas urbanas mais consolidadas do País. São Caetano do Sul tem quase 100% de seu território ocupado, ou seja, áreas livres são muito bem-vindas.

O terreno que o Senai usaria para fazer sua nova escola era o mesmo onde antes havia uma escola dos anos de 1950 já demolida. “O que sobrou do que existia antes foi a topografia e o paisagismo”, conta Valério Pietraróia, sócio do escritório. Esse paisagismo foi considerado muito importante pelos arquitetos, afinal, não é sempre que se tem a oportunidade de trabalhar com árvores antigas. Além das árvores frondosas e cheias de sombra, os arquitetos herdaram um belo pomar, e decidiram desde o começo do projeto que essas preexistências ficariam.

Leia mais

Arquitetos Associados projetam a galeria de fotos de Claudia Andujar em Inhotim

Arquitetos Associados projetam a galeria de fotos de Claudia Andujar em Inhotim

Aquele que talvez seja o texto de arquitetura mais citado das últimas décadas, o ensaio sobre o regionalismo crítico, de Kenneth Frampton, começa com uma citação de Paul Ricouer onde denuncia o desaparecimento de culturas tradicionais ameaçadas pela globalização ocidental.

Seria fácil aplicar a citação de Ricouer ao caso dos ianomamis, uma civilização ameaçada por todos os lados. Mas a realidade é bem mais complexa, assim como a própria definição etnocêntrica de regional. Como ideologia e sotaque, é sempre mais fácil ver regionalismo nos outros. Eu diria que a colisão entre a cultura ianomami e a cultura hegemônica brasileira é como um choque entre uma carreta e um fusca. Aos poucos, vamos percebendo a importante contribuição dos indígenas para os desafios brasileiros contemporâneos, ainda que aparentemente sejam visíveis apenas como arranhões no para-choque da carreta. Leia mais