Em detalhes: Arena da Juventude, no Rio de Janeiro, de Vigliecca & Associados

Em detalhes: Arena da Juventude, no Rio de Janeiro, de Vigliecca & Associados

Vigliecca & Associados . Rio de Janeiro . 2013/2016

IMPLANTAÇÃO
A Arena da Juventude está localizada no Complexo Esportivo de Deodoro, um dos quatro núcleos de instalações para os Jogos Olímpicos de 2016. A área de implantação do complexo é cortada por três vias (avenida Brasil, avenida Duque de Caxias e estrada São Pedro de Alcântara), por uma ferrovia (Ramal Santa Cruz), e por um rio (Marangá), todos paralelos entre si e que colocam um desafio para integração das instalações.

A Arena da Juventude se situa entre a avenida Brasil e o rio Marangá em uma faixa com aproximadamente 130 m de largura, o que não é muito, considerando que a Arena tem mais de 80 m de largura.

Leia mais

Em detalhes: as camadas da cúpula do Planetário de São Paulo

Em detalhes: as camadas da cúpula do Planetário de São Paulo

Antonio Carlos Pitombo, Eduardo Corona e Roberto Tibau . São Paulo, SP . 1955/1957

AS CÚPULAS DO PLANETÁRIO
No início da década de 1950, o então governador Lucas Nogueira Garcez priorizou o projeto do Parque do Ibirapuera para que fosse o marco arquitetônico do 4o Centenário da Cidade de São Paulo. Era o momento histórico do Brasil grande e moderno – cuja construção de Brasília seria o ápice, com uma arquitetura monumental, embora nem sempre de acordo com as possibilidades técnico-construtivas. Ao Convênio Escolar, corpo de profissionais constituído para suprir a carência de escolas da rede pública municipal, coube a tarefa de projetar um edifício para o estudo da astronomia. Leia mais

O vernacular e o erudito da casa Eduardo Manzano, em Botucatu, de Vitor Lotufo

O vernacular e o erudito da casa Eduardo Manzano, em Botucatu, de Vitor Lotufo

CASA EDUARDO MANZANO: ENTRE O VERNACULAR E O ERUDITO

Como um mestre das corporações de ofício medievais, o arquiteto Vitor Amaral Lotufo elabora o processo construtivo no canteiro, orientando a mão de obra com base em desenhos técnicos resumidos, o que não deve ser confundido com o prático que desconhece a teoria. Vitor Lotufo tem longa experiência no ensino de arquitetura, em aulas teóricas, prática em laboratório e na sistematização das experiências em monografias de cálculo estrutural, por exemplo, para o qual contribui com um método geométrico de dimensionamento das estruturas. Assim fundamentou o conceito e o repertório técnico correspondente baseado na síntese entre vernacular e erudito: cúpulas nervuradas de concreto armado, icosaedros de argamassa armada, arcos, tesouras e pirâmides de alvenaria estrutural pilares torcidos, cascas parabólicas (de ferro, tijolo vazado, madeira e lajes pré-fabricadas), cúpulas geodésicas de madeira e telhas de barro, alvenaria estrutural de taipa de pilão e adobe de terra de cupinzeiro. Leia mais

Museu do Amanhã, de Santiago Calatrava, no Rio de Janeiro

Museu do Amanhã, de Santiago Calatrava, no Rio de Janeiro

IMPLANTAÇÃO
Ao observar as formas propostas e a implantação da obra do Museu do Amanhã, extraem-se razões morfológicas e de partidos: um local em área portuária degradada e sob a demanda não só de revitalizar, mas de mudar o curso histórico com nova inserção urbana; as exigências de ser uma obra que proporcione integração e interação com o entorno que passa por obras de requalificação.

Além disso, o local de implantação destaca-se pela vista ampla da planície praiana, da Baía de Guanabara, com as extensões de serra ao fundo, do Morro da Conceição, e com as construções justapostas na praça Mauá, à frente do píer do assente do museu. Leia mais

Para otimizar a captação de energia, mais de cinco mil painéis fotovoltaicos foram acopladas às aletas móveis da cobertura metálica, que se movem conforme a orientação do sol no Museu do Amanhã, com projeto de Santiago Calatrava

Para otimizar a captação de energia, mais de cinco mil painéis fotovoltaicos foram acopladas às aletas móveis da cobertura metálica, que se movem conforme a orientação do sol no Museu do Amanhã, com projeto de Santiago Calatrava

Um dos marcos da requalificação do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro, o Museu do Amanhã se encontra em local privilegiado: na recém-revitalizada praça Mauá, sobre um píer que avança na baía. Com a demolição do elevado da Perimetral, em 2014, abriu-se uma visibilidade na região essencial para a ressignificação da área, pois permitiu a contemplação da própria praça, do Museu de Arte do Rio (MAR), de Bernardes Jacobsen Arquitetura (AU 229), inaugurado em 2013, e também da igreja e mosteiro de São Bento, fundados em 1590 e declarados como patrimônio da humanidade pela Unesco.

“Se há algo em que o Rio de Janeiro se destaca das outras cidades é pela sua relação cidade-paisagem. A eliminação do elevado permitiu abrir o espaço urbano ao mar, à natureza e ao contexto histórico e cultural. Para mim, era essencial que o projeto se integrasse a esse conceito”, diz o arquiteto espanhol Santiago Calatrava, responsável pela concepção do projeto, desenvolvido e gerenciado pelo escritório brasileiro Ruy Rezende Arquitetura. Leia mais