Em condomínio horizontal de casas geminadas em São Paulo, a privacidade é garantida por muxarabiês de madeira, que se sobressaem na composição arquitetônica

Em condomínio horizontal de casas geminadas em São Paulo, a privacidade é garantida por muxarabiês de madeira, que se sobressaem na composição arquitetônica

Erguido no bairro do Brooklin, na Zona Sul de São Paulo, o Vila Sagres é um condomínio horizontal de casas geminadas que se distribuem ao longo de uma rua de pedestres sobreposta a um estacionamento subterrâneo. A decisão de construir casas ligadas entre si, sem recuos laterais, trouxe ganho de área útil para as unidades, além de um melhor aproveitamento do terreno, da mesma forma que a opção pela garagem no subsolo. Da busca pela privacidade dos moradores surgem elementos arquitetônicos como os muxarabiês de madeira nas fachadas frontais, um dos destaques do projeto de arquitetura criado pelo escritório Pessoa Arquitetos. As tramas de madeira comuns na arquitetura colonial portuguesa são herança das invasões mouras na Península Ibérica.

O estudo de viabilidade feito pelo arquiteto Jorge Pessoa para o cliente – incorporador e construtor – indicou a possibilidade de inserir até 12 unidades residenciais de 250 m2 cada no lote. No entanto, optou-se por fazer duas casas maiores como estratégia para acelerar as vendas, o que, segundo o arquiteto, mostrou-se eficiente.

Leia mais

Objetos turísticos ganham novos usos em agência de viagens com organização horizontal e em equipe

Objetos turísticos ganham novos usos em agência de viagens com organização horizontal e em equipe

De uma casa no bairro paulistano do Brooklin – marcada por vários espaços pequenos e segmentados -, para o 14º andar de um edifício recém-lançado na Vila Olímpia, a troca de sede da agência de viagens Traveland resume o sonho de muita gente quando a empresa comunica que está “de mudança”.

A reorganização dos espaços, a cargo do escritório Dante Della Manna Arquitetura, visou atender à reestruturação nas funções da equipe, que passou a atuar de forma mais horizontal e por células de trabalho. Com liberdade para criar e um pavimento completamente livre, os arquitetos optaram por espaços amplos, alegres e coloridos, que tirassem partido do encontro casual entre as pessoas e contribuíssem para o novo formato de trabalho.

Leia mais