Escola Municipal de Astrofísica, em São Paulo: o restauro por Edson Elito em 2004

Escola Municipal de Astrofísica, em São Paulo: o restauro por Edson Elito em 2004

O RENASCIMENTO DA ESCOLA MUNICIPAL DE ASTROFÍSICA

O projeto de arquitetura começa por uma pergunta: que partido adotar. Isto é, dadas as condicionantes (programa, sítio, recursos), quais seriam as respostas mais adequadas à solução do problema? Na Escola Municipal de Astrofísica, o arquiteto e professor da FAUUSP Roberto José Goulart Tibau delimitou um território mediante vigas perpendiculares a dois pilares-parede associados a uma planta livre com quatro apoios, enfatizando a transparência e o prolongamento visual determinados tanto pelos vãos estruturais sem laje quanto pela caixilharia das áreas cobertas. Balanços de laje no eixo transversal atenderam ao sombreamento das vedações de vidro. O edifício é um exemplar da arquitetura brutalista paulista, e harmoniza a força dos grandes elementos estruturais à leveza que delimitam.

A ideia de uma Escola de Astrofísica foi do professor Aristóteles Orsini, membro da Associação de Amadores de Astronomia de São Paulo, em 1949. Inaugurado em 1961, o edifício de astrofísica exigiu cuidados com o passar dos anos. Em 1992, foi tombado pelo Condephaat e pelo Conpresp.

Leia mais