Projeto Moradias Infantis, no Tocantins, e escritório Aleph Zero são premiados pelo RIB

Projeto Moradias Infantis, no Tocantins, e escritório Aleph Zero são premiados pelo RIB

Os arquitetos curitibanos Gustavo Utrabo e Pedro Duschenes, do escritório Aleph Zero, venceram o RIBA International Emerging Architect, concedido pelo Royal Institute of British Architects (RIBA) para o melhor da arquitetura emergente. O seu projeto Moradas Infantis, no Tocantins, desenvolvido em parceria com o Rosenbaum, também foi um dos 20 ganhadores do RIBA International Prize 2018.

Em 12 anos de existência deste prêmio internacional, é a primeira vez que brasileiros são reconhecidos pelo RIBA. “Ficamos impressionados pela maneira com que os arquitetos adotaram a questão de como a arquitetura pode estimular quem a usa, assim como sua comunidade ao redor, em uma região rica em recursos naturais, mas pobre em oportunidades, educação e recursos econômicos”, comentou Julia Barfield, presidente do Grupo RIBA Awards em nota oficial. Leia mais

Dois projetos construídos em madeira vencem o Prêmio Ibramem/AMATA

Dois projetos construídos em madeira vencem o Prêmio Ibramem/AMATA

Foram anunciados no final de março os vencedores do Prêmio Ibramem/AMATA de Arquitetura em Madeira 2018, que visa incentivar a utilização do material na construção civil respeitando sua linguagem e enquadramento dentro dos princípios da sustentabilidade. A iniciativa é voltada para estudantes e profissionais das áreas de engenharia e arquitetura e urbanismo de todos os países da América Latina.

Na categoria para profissionais, os ganhadores foram o projeto Moradas Infantis, dos escritórios Rosenbaum e Aleph Zero, e a Casa na Montanha, de Gui Paoliello Arquiteto. Já a categoria para estudantes foi vencida por Daniela Moro e Gabriel Hildebrand Tomich, da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Leia mais

Moradas Infantis, dos escritórios Rosenbaum e Aleph Zero, é eleito o melhor projeto da 5ª edição do Prêmio Saint-Gobain de Arquitetura

Moradas Infantis, dos escritórios Rosenbaum e Aleph Zero, é eleito o melhor projeto da 5ª edição do Prêmio Saint-Gobain de Arquitetura

Foram divulgados no dia 16 de março os ganhadores da 5ª edição do Prêmio Saint-Gobain de Arquitetura – Habitat Sustentável, que tem como objetivo reconhecer empreendimentos que possuam conforto, inovação e sustentabilidade. O melhor projeto da edição foi o Moradas Infantis, edifício assinado pelos escritórios Rosenbaum e Aleph Zero em Formoso do Araguaia, no Tocantins.

Ainda foram concedidos três destaques: a Estação Antártica Comandante Ferraz, do Estúdio 41 Arquitetura, foi o destaque em sustentabilidade; a Arena da Juventude, Héctor Vigliecca e Associados, o destaque em inovação; e o NASP – Nova Sede Administrativa, do Dal Pian Arquitetos, o destaque em conforto.

Leia mais

Projeto brasileiro Moradas Infantis, no Tocantins, é finalista do prêmio MCHAP.emerge

Projeto brasileiro Moradas Infantis, no Tocantins, é finalista do prêmio MCHAP.emerge

O Moradas Infantis, projeto dos escritórios Rosenbaum e Aleph Zero, é o único projeto brasileiro finalista do Mies Crown Hall Americas Prize (MCHAP) Emerge, prêmio bienal ao trabalho de escritórios emergentes do continente americano. O trabalho concorre com edifícios nos Estados Unidos e no México.

O prédio, localizado em Formoso do Araguaia, no Tocantins, foi desenvolvido em 2015 com o objetivo de criar habitação para crianças de 13 a 18 anos, adequando a arquitetura à cultura local indígena. Os arquitetos mantiveram a separação original de duas vilas, uma feminina e outra masculina, com 45 unidades com seis pessoas cada, preservando a qualidade de vida. O projeto desenvolvido na área de 23.344,17 m² conta com sala de TV, espaço para leitura, varandas, pátios e redários, entre outros equipamentos.

Leia mais

Projeto Moradas Infantis, no Tocantins, vence 4º Prêmio Tomie Ohtake AkzoNobel de Arquitetura

Projeto Moradas Infantis, no Tocantins, vence 4º Prêmio Tomie Ohtake AkzoNobel de Arquitetura

O Instituto Tomie Ohtake e a AkzoNobel anunciaram na última quinta-feira (10) os vencedores do 4º Prêmio Tomie Ohtake AkzoNobel de Arquitetura. A solenidade ocorreu durante a abertura da exposição dos 10 finalistas da premiação, que segue em cartaz na sede do instituto em São Paulo até 17 de setembro.

Os escritórios Rosenbaum e Aleph Zero, representados pela arquiteta Adriana Benguela, foram os grandes vencedores com o projeto Moradas Infantis, em Formoso do Araguaia, no Tocantins. O trabalho foi desenvolvido em 2015 com o objetivo de criar habitação para crianças de 13 a 18 anos, adequando a arquitetura à cultura local indígena. Os arquitetos mantiveram a separação original de duas vilas, uma feminina e outra masculina, com 45 unidades com seis pessoas cada, preservando a qualidade de vida. O projeto desenvolvido na área de 23.344,17 m² conta com sala de TV, espaço para leitura, varandas, pátios e redários, entre outros equipamentos.

Leia mais

Os profissionais que assinaram os projetos publicados na edição

Os profissionais que assinaram os projetos publicados na edição

Sonhar e projetar
Massimiliano Fuksas 1 – que conduz o Studio Fuksas ao lado da esposa, a também arquiteta Doriana Fuksas 2 – é conhecido por suas estruturas audaciosas e formas escultóricas. Mais do que isso: há quem diga que Massimiliano não desenha volumes arquitetônicos; em vez disso, pinta paisagens poéticas em três dimensões. Os mais de 600 projetos concebidos pelo escritório italiano nos últimos 40 anos incluem marcos que vão desde os centros desportivos de Anagni e Paliano, na região do Lácio, de 1985, até o Aeroporto Internacional de Shenzhen Bao’na, na China, de 2013. Atualmente, o Studio Fuksas possui uma equipe de cerca de 170 profissionais, atua nos cinco continentes e conta com sedes em Roma, Paris e Shenzhen.

Leia mais