Ateliê em Harvard: projeto e construção de abrigo em montanha

Ateliê em Harvard: projeto e construção de abrigo em montanha

Spela Vidernik e Rok Oman são de Ljubljana, na Eslovênia, e cursaram seus estudos de pós-graduação na celebrada Graduate School of Design, a GSD de Harvard. No segundo semestre de 2014, os dois foram os responsáveis por coordenar um ateliê com alunos de mestrado da GSD – em uma prática recorrente da universidade de trazer professores convidados para fazerem ateliês de projeto.

De onde veio a ideia de um ateliê como o Mountain Lodges?
Como a maioria dos estrangeiros que passa pelos Estados Unidos, percebemos que a totalidade das residências construídas naquele país são radicalmente ignorantes a respeito do lugar onde se situam. Percebendo isso, resolvemos fazer deste problema o eixo central do ateliê quando fomos convidados de volta a Harvard em 2014. Como chamar atenção para a necessidade de contextualização da habitação humana? Trabalhando com condições radicais onde o abrigo humano é forçado a adaptar-se ao lugar ou não servir para nada. Daí surgiu a ideia de um abrigo para montanhistas nos Alpes eslovenos. Por ter sido por décadas parte da antiga Iugoslávia e por ter ficado do outro lado da cortina de ferro, a Eslovênia é muito menos conhecida do que seus vizinhos Áustria e Itália, com quem divide os Alpes do leste.

Leia mais

Toldos móveis e retráteis projetados por escritório chinês cobrem ruas de cidade inglesa em dias festivos

Toldos móveis e retráteis projetados por escritório chinês cobrem ruas de cidade inglesa em dias festivos

Influências da China e do Reino Unido fizeram parte da composição de ideias que deu origem ao People’s Canopy, os toldos populares móveis e retráteis criados pelo escritório chinês People’s Architecture na cidade de Preston, na Inglaterra. O objetivo do projeto é oferecer abrigo para diversos tipos de atividade de rua, para que a cidade possa ser ocupada pelos cidadãos mesmo em dias de chuva ou de sol intenso.

A viabilização do projeto foi comissionada por uma organização de arte do Reino Unido chamada In Certain Places. “Eles nos pediram para criar uma intervenção urbana que ajudasse a conectar duas partes desconexas da cidade: a University of Central Lancashire (Uclan) e o centro histórico de Preston.” O projeto começou com visitas ao local, palestras, encontros com a comunidade e workshops de design. “Nós começamos preocupados com entender a cidade e suas necessidades e a ideia para o People’s Canopy foi o resultado dessas atividades”, dizem os profissionais do People’s Architecture.

Leia mais

Com detalhes curvos que aludem a asas, banco Angel é produzido a partir de material termomoldável

Com detalhes curvos que aludem a asas, banco Angel é produzido a partir de material termomoldável

Quando desenhou o primeiro banco Angel, depois de uma inspiração surgida a partir de um passeio pelo sítio da família, Tiago Curioni pensou em uma peça de madeira. Àquele tempo, no entanto, o projeto seguiu no papel. Dois anos depois, em 2015, o artista, que além de arquiteto e urbanista é designer de produtos, estabeleceu contato com a Samsung, que acabava de lançar no mercado o staron, material até então pouco difundido. Da conversa, surgiu a oportunidade de lançar o projeto com um material até então nunca usado em móveis.

O staron é 70% mineral e 30% acrílico, produzido a partir de minerais naturais refinados de bauxita fundidos com resina acrílica, o que o torna capaz de voltar à plasticidade após o aquecimento. Até não muito tempo, seu uso era muito comum em bancadas e cubas de cozinhas e banheiros de restaurantes e hospitais. Porém, a maleabilidade permitida pelo aquecimento do material o tornou ideal para as asas que dariam o ar angelical ao móvel.

Leia mais

Mobiliário urbano feito em concreto armado no Uruguai apresenta design minimalista e propriedades antivandalismo

Mobiliário urbano feito em concreto armado no Uruguai apresenta design minimalista e propriedades antivandalismo

Foi a partir de uma mescla criativa entre o concreto e o momento de descanso que a uruguaia Sofía Orellano pensou no Mento, um conjunto de mobiliário urbano minimalista fabricado em concreto armado no Uruguai. Sofia estava finalizando seu trabalho de conclusão do curso de design industrial. Ao estudar os entornos citadinos e, em especial, a cidade de Montevidéu, a artista observou como conviviam o tradicional e o moderno, que, em sua constatação, eram incongruentes na infraestrutura disposta e no comportamento dos usuários. Como uma tentativa de unir ambos de maneira harmônica, desenhou peças ergonômicas e ao mesmo tempo resistentes às ações humanas e ambientais, que pudessem ser instaladas em parques, praças e demais espaços públicos.

Leia mais

Mobiliário urbano feito com pallets busca gerar conforto, sombra e permanência em praça pública de Ciudad Juárez, no México

Mobiliário urbano feito com pallets busca gerar conforto, sombra e permanência em praça pública de Ciudad Juárez, no México

Nómada Laboratorio Urbano . Ciudad Juárez, México . 2015

É em uma região desértico-fronteiriça que se encontra Ciudad Juárez, no Estado de Chihuahua, no México. A cidade com mais de 1,3 milhão de habitantes carrega em seu histórico o famigerado título de ter sido uma das mais violentas do mundo, servindo de casa para altos índices do narcotráfico, de estatísticas de feminicídio e de porto para grandes indústrias maquiladoras, que se valem dos baixos impostos e da proximidade com os Estados Unidos para garantir uma alta produção a baixo custo. A situação vem lentamente mudando, e com isso, aos poucos, pode ser vislumbrada a possibilidade de uma vida tranquila no local. Foi com a finalidade de instaurar projetos que aproximem cidade, cidadão e arte em um cenário hostil e carente de políticas socioculturais que o coletivo Nómada Laboratorio Urbano passou a atuar na cidade. Leia mais

Minidocumentário mostra o funcionamento do playground Ibtasem para refugiados sírios no Líbano. De Catalyticaction

Em agosto de 2015, o estúdio sem fins lucrativos CatalyticAction inaugurou na cidade de Bar Elias o playground Ibtasem (sorrir/sorriso, em árabe), voltado ao desenvolvimento e ao lazer das crianças sírias refugiadas no Líbano. O projeto contou com a participação de voluntários e da comunidade local desde sua concepção, em que as próprias crianças surgiram com ideias sobre o que gostariam de ver, até o levantamento da estrutura, cuja mão de obra coube a quem se juntou espontaneamente à iniciativa. Por meio de imagens do dia a dia do local e depoimentos de membros da CatalyticAction, dos cidadãos e de voluntários, o minidocumentário retrata como foi o processo de idealização do playground e mostra como, desde o início dos trabalhos, a atividade tem sido útil aos pequenos e aos moradores daquele espaço. Leia mais