Aula de projeto: Clínica Muricy, em São Paulo

Aula de projeto: Clínica Muricy, em São Paulo

Boa parte do que conhecemos como Escola Paulista de Arquitetura caracterizou-se por residências paulistanas localizadas em bairros de baixa densidade como Pacaembu, Morumbi, Alto de Pinheiros, entre outros. Hoje, ainda que as preocupações dos arquitetos venham recaindo sobre grandes temas sociais e coletivos em busca de maiores adensamentos e compactação das cidades, a casa e outras pequenas edificações permanecem como referências para experimentação e valorização das práticas de projeto com ênfase na construção de valorosos posicionamentos estéticos. Com a evolução da cidade e novas formas de ocupação confirmadas por transformações na legislação de uso e ocupação do solo, bairros como Alto de Pinheiros, com baixa densidade, ruas arborizadas e ajardinadas, além de arsenal substantivo de obras modernas predominantemente residenciais, vêm transformando seus usos sem perder suas principais características físicas,  identificadas por pequenas edificações autônomas que conservam em suas linhas muitos dos princípios da arquitetura moderna, das estratégias compositivas e de experimentações materiais relevantes.

Surge assim, na Avenida Pedroso de Moraes, a Clínica Muricy, cujo programa é focado em tratamentos capilares e procedimentos estéticos de alto desempenho. Na perspectiva da construção da paisagem – uma das principais dimensões públicas da arquitetura – os elementos inseridos pós-concretagem são simples  e preservam a plasticidade definida pela estrutura. O branco dos painéis rebate-se no piso de pedras portuguesas também brancas e nas esquadrias da mesma cor do delicado muro/portão em alumínio anodizado branco com fechamento de vidro junto ao passeio.

A seguir os principais pontos do projeto.

Leia mais

Técnicas e tecnologias para implementar paredes verdes externas em edifícios residenciais e comerciais na cidade de São Paulo

Técnicas e tecnologias para implementar paredes verdes externas em edifícios residenciais e comerciais na cidade de São Paulo

A inclusão de paredes verdes na edificação é uma forma de trazer a natureza às grandes cidades que atualmente concentram muitos edifícios e poucas áreas verdes. Este artigo visa incentivar a utilização de jardins verticais externos e fachadas verdes em grandes centros urbanos como forma de melhorar a qualidade de vida da população e tem base em uma pesquisa, realizada em 2016, que analisou as diversas soluções de inclusão do verde em edificações residenciais e comerciais de oito projetos internacionais, oito projetos em São Paulo (SP) e um projeto de retrofit verde no Rio de Janeiro (RJ). O levantamento considerou todas as tipologias em paredes cegas e próximas às aberturas das edificações, fez a comparação entre as principais tipologias de paredes verdes e suas características foram avaliadas quanto ao desempenho. O trabalho também incluiu sete entrevistas junto a profissionais da área que atuam na capital paulista.

INTRODUÇÃO

As paredes verdes (green walls) dividem-se em Jardins Verticais ou Paredes Vivas (living walls) e Fachadas Verdes (green facades). (MANSO; CASTRO-GOMES, 2015).

Leia mais

Arquiteto esquece que é artista

Arquiteto esquece que é artista

Todos os anos, com a realização da mostra de decoração CasaCor, a mídia se volta para a arquitetura e o design de interiores. Contudo, o volume de informações, matérias, editoriais, posts e reposts sobre os projetos e suas características, questionamentos e julgamentos sobre originalidade e sobre os profissionais envolvidos não é proporcional ao conhecimento que se tem ou se difunde a respeito da proteção autoral na arquitetura.

Este desconhecimento, que é grande até mesmo entre profissionais atuantes em direitos autorais, é majoritário entre estranhos ao meio jurídico. Não há no setor uma predominância da formalidade, e muitos serviços são realizados sem que haja qualquer contrato por escrito.

Leia mais

Material escolar: escadas como função e escultórico

Material escolar: escadas como função e escultórico

A escada é um elemento construtivo com papel importante na arquitetura, tornando toda a sua história de evolução funcional e decorativa um dos grandes incentivos na criação de projetos arquitetônicos. Ainda na Antiguidade, sua função era de deslocamento vertical, construída com materiais que limitavam sua construção, como pedra e madeira. Ao longo dos anos, juntamente com a evolução de técnicas e com o avanço das tecnologias da construção, as escadas passaram a integrar-se como elemento de grande valorização no interior e no exterior das edificações.

Com base em uma revisão bibliográfica de estudo aprofundada e em levantamento de informações, o artigo visa relacionar as vantagens de aproveitamento espacial das escadas e sua adversidade multifuncional.

Leia mais

Artigo: cuidado com o projeto e a instalação de anteparos assegura a integridade física de usuários em lajes e sacadas

Artigo: cuidado com o projeto e a instalação de anteparos assegura a integridade física de usuários em lajes e sacadas

Este estudo tem o objetivo de alertar as autoridades competentes no sentido de se estabelecer condições seguras na construção de anteparos, em geral, em moradias de comunidades carentes distribuídas pelo Brasil afora. A inexistência desses anteparos causa uma morte a cada três dias por queda de pessoas de lajes. Busca-se apresentar uma altura segura para esses elementos em edificações tipo multifamiliares verticais em qualquer tipo de laje de cobertura, considerado áreas não habitáveis, que oferecem riscos iminentes de acidentes, envolvendo quedas de operários quando em serviços de manutenção, visitas de zeladores ou síndicos ou mesmo de engenheiros ou arquitetos que atuam na área de perícias, altura de guardas em escadas internas e externas, peitoris de vãos e guarda-corpo.

CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES
Atualmente há no Brasil 5.570 municípios – o Ministério das Cidades divulgou que até 2014 foram conveniados somente 979 contratos relacionados à Lei 11.888/2008, de Assistência Técnica em Habitações Sociais. Porém, 78% desses contratos foram cancelados antes mesmo de haver o primeiro repasse de verbas, incluindo entre os motivos problemas na apresentação dos projetos, além de muitas dessas prefeituras não terem demonstrado interesse, um dos fatores que levam à falta de assistência técnica nas comunidades carentes e que geram condições inseguras pela falta de um anteparo nas lajes de cobertura das moradias.

Leia mais

Arquitetura de Frank Lloyd Wright no sul do Chile

Arquitetura de Frank Lloyd Wright no sul do Chile

A entrada acanhada da construção encravada na encosta esconde o verdadeiro tesouro do Hotel Antumalal: a vista panorâmica para o Lago Villarica. De cara, as referências à arquitetura moderna de Frank Lloyd Wright se mostram evidentes, com as cores primárias pronunciadas, caixilharia generosa e mobiliário moderno 100% em harmonia com as linhas paralelas do edifício. Com capacidade de receber até 50 hóspedes, vanguardista no conceito de hotel boutique, Antumalal significa, em mapudungun (idioma da população local, os mapuches), “onde se aconchega o sol”.

Leia mais