Três projetos brasileiros são premiados no prêmio Prix Versailles 2018 para o continente americano

Três projetos brasileiros foram premiados no Prix Versailles 2018 para as regiões Américas do Sul e Central e Caribe. A premiação é concedida pela União Internacional dos Arquitetos (UIA) e pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Com revestimento em madeira, a Japan House, em São Paulo, venceu na categoria Lojas Comerciais. O projeto do arquiteto Kengo Kuma, em parceria com o escritório paulistano FGMF Arquitetos, foi inaugurado no início de maio, na Avenida Paulista. As atrações vão desde um restaurante típico até um espaço para instalações e eventos, onde artistas e empresários japoneses poderão realizar reuniões, workshops, palestras e cursos.

A Ateliê Wals, cervejaria projetada pelo Escritório Gustavo Penna Arquiteto e Associados (GPA&A) em Belo Horizonte, ganhou o Prix Versailles 2018 na categoria Restaurantes. O primeiro impacto oferecido ao público está no visual da fachada, marcada por uma sinuosa cobertura de madeira que remete à imagem de uma barrica desdobrada. Em seguida, outros símbolos e materiais ligados ao universo da cerveja – como rolhas, garrafas, bolhas, metal, madeira e concreto – dão corpo à proposta de forma lúdica.

Já o escritório Bloco Arquitetos recebeu um prêmio Especial de Exteriores na categoria Restaurantes, pelo Restaurante Norton, em Brasília. O local é composto por uma série de lâminas de madeira fixadas a uma grelha vazada de aço, entremeada por chapas perfuradas. O compensado natural de Tauarí se contrapõe às cores frias do chão.

Todas as premiações, divididas por continentes, serão entregues no dia 15 de maio, em Paris, na França.

Por Gabriel Gameiro