Projeto Moradias Infantis, no Tocantins, e escritório Aleph Zero são premiados pelo RIB

Os arquitetos curitibanos Gustavo Utrabo e Pedro Duschenes, do escritório Aleph Zero, venceram o RIBA International Emerging Architect, concedido pelo Royal Institute of British Architects (RIBA) para o melhor da arquitetura emergente. O seu projeto Moradas Infantis, no Tocantins, desenvolvido em parceria com o Rosenbaum, também foi um dos 20 ganhadores do RIBA International Prize 2018.

Em 12 anos de existência deste prêmio internacional, é a primeira vez que brasileiros são reconhecidos pelo RIBA. “Ficamos impressionados pela maneira com que os arquitetos adotaram a questão de como a arquitetura pode estimular quem a usa, assim como sua comunidade ao redor, em uma região rica em recursos naturais, mas pobre em oportunidades, educação e recursos econômicos”, comentou Julia Barfield, presidente do Grupo RIBA Awards em nota oficial.

O prédio, localizado em Formoso do Araguaia, no Tocantins, foi desenvolvido em 2015 com o objetivo de criar habitação para crianças de 13 a 18 anos, adequando a arquitetura à cultura local indígena. Os arquitetos mantiveram a separação original de duas vilas, uma feminina e outra masculina, com 45 unidades com seis pessoas cada, preservando a qualidade de vida. O projeto desenvolvido na área de 23.344,17 m² conta com sala de TV, espaço para leitura, varandas, pátios e redários, entre outros equipamentos.

No último ano, o projeto Moradas Infantis recebeu uma série de premiações: o Prêmio APCA 2017, da Associação Paulista dos Críticos de Arte, na categoria Obra de Arquitetura no Brasil; o Prêmio de Arquitetura Tomie Ohtake AzkoNobel (https://au.pini.com.br/2017/08/projeto-moradas-infantis-no-tocantins-vence-4o-premio-tomie-ohtake-akzonobel-de-arquitetura/); o 5º Prêmio Saint-Gobain de Arquitetura – Habitat Sustentável (https://au.pini.com.br/2018/03/moradas-infantis-dos-escritorios-rosenbaum-e-aleph-zero-e-eleito-o-melhor-projeto-da-5a-edicao-do-premio-saint-gobain-de-arquitetura); e o Prêmio Ibramem/AMATA de Arquitetura em Madeira 2018 (https://au.pini.com.br/2018/04/dois-projetos-construidos-em-madeira-vencem-o-premio-ibramem-amata/). O empreendimento também é finalista do prêmio MCHAP.emerge (https://au.pini.com.br/2018/03/projeto-brasileiro-moradas-infantis-no-tocantins-e-finalista-do-premio-mchap-emerge/).

Confira os outros 19 projetos vencedores do RIBA International Prize 2018, oriundos de 16 países:

* The Ancient Church of Vilanova de le Barca – AleaOlea Architecture & Landscape

* Audain Art Museum – Patkau Architects

* BBVA Bancomer Tower – LegoRogers (Rogers Stirk Harbour + Partners and Legorreta + Legorreta)

* Buendner Kunstmuseum Chur – Barozzi Veiga

* Captain Kelly’s Cottage – John Wardle Architects

* Central European University Phase 1 – O’Donnell + Tuomey

* Lanka Learning Center – Feat Collective

* M4 Metro Line Budapest – FŐMTERV-PALATIUM-UVATERV (consórcio entre Palatium Studio, Budapesti Építőművészet Műhely, Gelesz és Lenzsér, Puhl és Dajka, sporaarchitects e VPI Studio)

* Mount Herzl Memorial Hall – Kimmel Eshkolot Architects em colaboração com Kalush Chechick architects

* Musee d’arts de Nantes – Stanton Williams

* Museum Voorlinden – Kraaijvanger Architects

* Sancaklar Mosque – EAA-Emre Arolat Architecture

* Stavros Niarchos Foundation Cultural Center – Renzo Piano Building Workshop & Betaplan

* Studio Dwelling at Rajagiriya – Palinda Kannangara Architects

* Tatsumi Apartment House – Hiroyuki Ito Architects

* Toho Gakuen School of Music – Nikken Sekkei

* University of Amsterdam – Allford Hall Monaghan Morris

* Vertical Forest – Boeri Studio (Stefano Boeri, Gianandrea Barreca, Giovanni La Varra)

* Xiao Jing Wan University – Foster + Partners

Por Gabriel Gameiro