Notícias do mundo da arquitetura

Biblioteca São Paulo é finalista em premiação internacional

O escritório de arquitetura e design DM/AM, um dos mais importantes do país e reconhecido por sua excelência na criação de espaços e projetos inspiradores há exatos 20 anos, traz o projeto de interiores da Biblioteca São Paulo (BSP) como finalista do prêmio da Feira do Livro de Londres, que aconteceu em 10 de abril.

Criado com o objetivo de se tornar modelo de equipamento público e construído no local onde funcionou por 82 nos o Complexo Penitenciário do Carandiru, o programa de interiores da Biblioteca São Paulo oferece uma estrutura que atrai diferentes públicos, apresentando um ambicioso design de acessibilidade e mídias complementares.

Com o projeto, o escritório conquistou o Prêmio IAB-SP, na categoria Melhor Institucional de 2010 e hoje é finalista de uma das mais importantes premiações da literatura e do mercado editorial, na categoria Biblioteca do Ano, concorrendo com criações da Noruega, da Dinamarca e da Letônia.

Dentre os destaques que estão na disputa pelo título, se apresentam cinco iniciativas e projetos brasileiros: a Editora Atheneu (Prêmio Edi-tores Acadêmicos e Profissionais), a Ubook.com (Editora de Audio-books do Ano), a Fundação Dorina Nowill para Cegos (Prêmio de Excelência Internacional para Livros Acessíveis) e a TAG (Prêmio Quantum de Inovação Editorial).

A BSP foi inaugurada em 8 de fevereiro de 2010 e faz parte do conjunto de iniciativas da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo para incentivar e promover o gosto pela leitura. Localizada no Parque da Juventude, foi concebida para ser um projeto inovador de inclusão social por meio da leitura. Conta com uma programação cultural diária e ações em acessibilidade e serviço social.

Maravilha arquitetônica e natural em Laguna Garzón

Ponte uruguaia em formato de anel transforma paisagem. A estrutura simboliza a aliança entre dois departamentos: Rocha e Maldonado, que possuem um entorno conhecido pelas belezas
naturais, incluindo a área protegida da Lagoa Garzón (Laguna Garzón).

A Andres del Castillo Ed quod et diversidade biológica da região faz do lugar um ponto turístico ainda pouco conhecido dos brasileiros. Do horizonte se vê a silhueta dos esportistas que praticam kitesurfe, windsurfe ou stand up paddles sobre as águas da lagoa – a exceção são os esportistas náuticos a motor, devido à proibição por se tratar de uma área protegida. O traçado do anel se faz pela abertura das duas pistas em forma circular, o que torna a paisagem da lagoa ainda mais bonita. A altura dos pilares que sustentam a estrutura é suficiente para permitir o cruzamento de embarcações.

Hotel Fasano em Angra dos Reis

A Lafem Engenharia entregará em breve a construção do icônico Hotel Fasano, que integra o Complexo FRAD.E, resort de alto padrão na Costa Verde fluminense . São 60 suítes que ocupam 18.052,75 m², sendo 15.040,90 m² de área coberta.Com projeto desenvolvido pelos escritórios Bernardes & Jacobsen e Bernardes Arquitetura, o empreendimento contempla materiais que primam pela durabilidade. É o caso do painel composto importado de Portugal e usado no fechamento dos quartos. Sua composição mistura partículas de madeira e cimento Portland, comprimidos e secos. Esse material é resistente a impactos, fogo, umidade, variações térmicas, ruídos e fungos.

Já na fachada, foram usados brises de um tipo de madeira pouco usual, mas igualmente resistente. A madeira passa por um tratamento de acetilação, que altera suas propriedades, impedindo que seja consumida por insetos e mantendo sua estabilidade, mesmo sob condições climáticas adversas. Resiste bem aos raios UV, sem perder as características naturais.

Foram também executados processos de impermeabilização com manta no telhado do Bar Marea – o que garante resistência térmica e mecânica – e nos trechos em balanço. Bem interessante é o controle de iluminação nas suítes principais. O Business Center, por sua vez, possui revestimento acústico OWA. Na fachada, por fim, foram aplicados painéis de chapas cimentícias revestidas com textura hidrofugante.

O coordenador de projetos da Lafem, Fernando Cantarino, explica que a obra teve muitos detalhes e exigências. E essa complexidade não foi a única dificuldade que se impôs ao desenvolvimento do empreendimento. “Precisamos realizar a obra ao mesmo tempo que o projeto era desenvolvido”, conta Cantarino, que, em conjunto com uma equipe média de 220 funcionários da Lafem, foi o responsável pela gerenciamento do projeto.

Somam-se à empreitada a geografia e o clima. Por estar a cerca de 150 km da cidade do Rio, longe dos principais centros urbanos e num local de difícil acesso, deslocar a equipe de trabalho e operar a logística dos materiais foi um desafio. Também foi necessário muito planejamento no decorrer das obras, por causa dos altos índices pluviométricos de Angra, fato que interfere e compromete o cronograma.

Arquitetura de madeira premiada

Com o propósito de incentivar  a utilização da madeira na construção civil, o Prêmio Ibramem/Amata contempla projetos criados por estudantes e profissionais de engenharia e arquitetura brasileira. A premiação aconteceu em 29 de março, dentro da programação do 16a edição do Ebramem (Encontro Brasileiro em Madeiras e em Estruturas de Madeira) e do 3º Congresso Latino-Americano de Estruturas de Madeira, ambos realizados de 26 a 28 de março, na cidade  de São Carlos, interior paulista. O prêmio contribui também para o desenvolvimento sustentável  do mercado, abrangendo toda a cadeia produtiva da madeira.

Conheça os projetos vencedores:

Estudantes

1º lugar: Daniela Moro e Gabriel Hildebrand Tomich
Instituição: Universidade Federal do Paraná (UFPR)
Nome do projeto: Entre
Orientador: Marina Millani Oba

MENÇÕES HONROSAS:

Ingred Santana da Silva
Instituição: Universidade Metodista de Piracicaba (SP)
Nome do projeto: Abrigo para ônibus com biblioteca comunitária
Orientador: Mônica Duarte Aprilanti

Augusto Rodrigues Dilascio, Vitor Leite Alves, Fernanda Carneiro de Queiroz, Vitória Souza Santos e Isabela Caetano Ramos Ludwig
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Nome do projeto: Pavilhão Xuê
Orientador: Hugo Alkmim de Matos

João Pedro Belusso Cecco
Instituição: Faculdade Mater Dei
Nome do projeto: Espaço informativo em madeira
Orientador: Gilmar Tumelero

PROFISSIONAIS

1º lugar: Rosenbaum + Aleph Zero
Nome do projeto: Moradas Infantis
Equipe: Adriana da Silva Benguela, Pedro Lass Duschenes, Gustavo Correia Utrabo, Marcelo Rosenbaum e Hélio Olga

MENÇÃO HONROSA:

Gui Paoliello Arquiteto
Nome do projeto: Casa na Montanha
Equipe: Guilherme Pires Paoliello, Manoela Corrá Dieguez Pessoa, Thiago Magri Benucci, Victoria Coelho Menezes e Heloisa Maringone

Auguste Perret é homenageado em São Paulo

O edifício-sede da Fundação Armando Álvares Penteado (Faap) é o tema da mais nova exposição do MAB-Faap. A mostra – que abre no dia 18 de abril – joga luz sobre o trabalho do francês Auguste Perret, um dos mais importantes arquitetos da primeira metade do século 20.

No Brasil, a única obra realizada por Perret foi justamente o projeto arquitetônico do prédio da Faap, a partir de esboços feitos pelo conde Armando Álvares Penteado, idealizador da instituição.

Por essa razão, a mostra Abrindo Arquivos: o Arquiteto Auguste Perret e o Projeto para o Museu da Faap revela a importância de Perret para a arquitetura moderna, com a exposição de cartas, livros, revistas, croquis, plantas, imagens, entre outros documentos que apresentam a concretização do edifício, reconhecido, principalmente, por abrigar um painel de vitrais assinados por artistas como Lasar Segall, Cândido Portinari, Tarsila do Amaral, Tomie Ohtake, entre outros.

A exposição do MAB-Faap insere-se no vasto panorama de redescobertas e apreciação da obra do arquiteto e da Frères Perret, empresa de arquitetura que liderava ao lado dos dois irmãos: Gustave e Claude. “São Paulo só tem a ganhar na valorização de uma de suas paisagens urbanas mais ricas”, destaca a professora Maria Cristina Wolff de Carvalho, curadora da exposição ao lado do professor Francisco Barros.

No cenário internacional, seguindo a tendência revisionista da arquitetura, a produção de Perret vem sendo reconhecida e celebrada com exposições, publicações, enquadramento em programas de preservação, restaurações e requalificações, a exemplo da cidade de Le Havre, na França, que foi reconstruída com projetos da Frères Perret, após ter sido severamente bombardeada na Segunda Guerra Mundial. O município foi tombado pela Unesco como patrimônio da humanidade e hoje é um destino turístico que movimenta artes, cultura e economia.