Herman Miller cria versão remasterizada da clássica cadeira Aeron

Peça integrante do acervo permanente do MoMA (Museu de Arte Moderna de Nova York), a Aeron Chair há muito ultrapassou a condição de objeto de mobiliário e atingiu o status de obra de arte. Criada pelos designers americanos Bill Stumpf e Don Chadwick, ela revolucionou o mercado quando foi lançada pela Herman Miller em 1994, em grande medida por não ter sido desenhada para agradar aos olhos, mas sim ao corpo. Não à toa, se tornou a cadeira de escritório mais famosa do mundo.

Desenvolver uma versão remasterizada desse clássico foi a missão abraçada pela Herman Miller nos últimos dois anos. O fato de a Aeron nunca ter perdido seu apelo comercial – ela continua sendo uma das cadeiras mais vendidas nos Estados Unidos, além de estar presente em mais de 130 países e de ser a escolha de um terço dos CEOs da lista das 100 melhores empresas da revista Fortune – se mostrou um desafio a mais: como melhorar um produto tão bem-sucedido e emblemático?

ALÉM DO QUE SE VÊ
O caminho escolhido foi promover mudanças que pudessem ser sentidas, e não necessariamente vistas. Eis a razão pela qual a Herman Miller, que repensou a peça em parceria com Don Chadwick (Bill Stumpf faleceu em 2006), optou pelo uso do termo “remasterização”, geralmente empregado na indústria fonográfica: a ideia não era criar um modelo novo, mas sim alinhar o original às tecnologias e às necessidades dos novos tempos. Em outras palavras, implementar sutis alterações de design a fim de evitar o envelhecimento gradual do ícone.

As mudanças começaram pelo símbolo máximo da Aeron Chair: sua tela respirável que substitui o estofamento convencional. Chamado de Pellicle, o tecido que reveste o encosto e o assento permite a passagem do ar, minimizando o desconforto causado pelo excesso de calor e transpiração. Em sua nova versão, foi incrementado com a divisão em oito zonas de tensão, que proporcionam diferentes tipos de apoio para cada parte do corpo em contato com a cadeira.

MÁXIMA PERSONALIZAÇÃO
Seguindo o lema de que a ergonomia de um objeto é diretamente proporcional à sua capacidade de se adaptar ao usuário, a nova Aeron oferece muitas possibilidades de ajuste e adaptação. A começar por um suporte para as costas mais eficiente e totalmente regulável, que estabiliza a base da coluna e suporta a região lombar, imitando a posição de quando ficamos em pé.

O mecanismo de suspensão e inclinação, que ajusta a postura, a altura e todo o equilíbrio da cadeira, também foi remodelado, tornando-se mais responsivo e sensível. O resultado é uma movimentação ainda mais natural e confortável, além de mais frequente – o que é extremamente recomendável pelos ortopedistas, uma vez que permanecer na mesma posição por muito tempo reduz a ação de bombeamento natural dos músculos que fornecem nutrientes aos discos vertebrais.

Assim como a versão anterior, a Aeron Remastered está disponível em três tamanhos, para pesos e tipos físicos distintos. Como cereja do bolo, há duas novas opções de cores, além do tradicional Grafite (cinza-escuro): Carbono (um pouco mais claro) e Mineral (quase branco).

Por Carine Savietto