Notícias do mundo da arquitetura

Concurso para a sede do CAU-BR e do IAB-DF tem viés democrático
Em 1956, foi publicado o Concurso Nacional do Plano Piloto da Nova Capital do Brasil, que teve como vencedor o projeto do arquiteto Lúcio Costa. Sessenta e um anos depois, também por meio de um concurso público, os arquitetos brasileiros vão ganhar uma casa. No fim de 2016, o Concurso Público de Arquitetura da Nova Sede do CAU-BR (Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil) e do IAB-DF (Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento Distrito Federal) selecionou o melhor projeto entre os 328 trabalhos inscritos por escritórios de todo o país.

1
1
1

Atuando em parceria, dois escritórios paulistas levaram o primeiro lugar 1 : o São Paulo Arquitetos e o COA Arquitetos. O edital estabelecia que a sede das instituições teria de ser construídas em um período de dez meses a um ano, no máximo, e o custo não deveria ultrapassar o valor atribuído ao lote em laudo fornecido pela Caixa Econômica Federal, de cerca de R$ 14 milhões. “O edifício que projetamos é bastante compacto, ele obedece ao controle de custos, e a infraestrutura é mais enxuta, justamente para atender às propostas do concurso”, afirmou Paulo Roberto Barbosa, do São Paulo Arquitetos.

A comissão julgadora foi composta por cinco arquitetos: Aleixo Furtado (DF), Bete França (SP), Bruno Santa Cecília (MG), Glauco Campello (PE) e Roberto Loeb (SP). “O evento é uma forma democrática de selecionar projetos para edifícios públicos”, afirmou Glauco Campello, que também presidiu a comissão julgadora. “Por defender a realização de concursos públicos para a escolha de edifícios oficiais, o CAU-BR e o IAB-DF sentiram- se no dever de dar o exemplo”, afirma Campello. Em sua avaliação, outra vantagem dessa iniciativa é revelar o nível de desenvolvimento da arquitetura brasileira. “Entre os selecionados, havia um nível de conhecimento muito avançado de novas tecnologias e padrões”, observou.

2
2
2

A premiação – em dinheiro – rendeu aos cinco primeiros colocados as seguintes quantias: R$ 70 mil para o escritório vencedor (além de remuneração pelos estudos preliminares e um contrato de R$ 1,4 milhão para realizar os projetos executivo e complementares da obra); R$ 20 mil reais para o segundo lugar 2 (o escritório Arquea Arquitetos, de Curitiba); R$ 15 mil para o terceiro lugar 3 (o escritório paulista Vereda Arquitetos); R$ 10 mil para o quarto lugar (o escritório Espaço, de Goiânia); e R$ 5 mil para o quinto lugar (o escritório Grupo SP Arquitetos). O concurso concedeu ainda duas menções honrosas aos projetos dos escritórios paulistas Dal Pian Arquitetos Associados e C2+Arquitetos Associados.

3
3
3

Oscar Niemeyer é homenageado com exposição de bisneto
Um dos maiores expoentes da arquitetura brasileira recebeu uma homenagem do seu bisneto Paulo Sérgio Niemeyer com a exposição O Arquiteto. Inaugurada em 15 de dezembro passado, dia em que Oscar Niemeyer faria aniversário, a mostra reúne 12 obras – quatro delas inéditas – na galeria do Shopping Cassino Atlântico, em Copacabana, no Rio de Janeiro.

4

ilustração 4 e as gravuras expostas fazem parte do acervo pessoal de Paulo, que também é arquiteto e partilhou o mesmo escritório com o bisavô. Os desenhos inéditos são croquis originais, assinados em papel-manteiga com caneta permanente. As obras são assinadas pelos dois. A curadoria da exposição foi feita pelo Instituto Niemeyer de Políticas Urbanas e Culturais, organização sem fins lucrativos fundada em 2010 pelo arquiteto (falecido em 2012) em parceria com o bisneto. O objetivo do instituto é criar projetos de urbanismo, cultura e integração dos povos. A ideia é que a mostra varie de tamanho e seja itinerante. Depois do Rio, seguirá para Brasília e Belo Horizonte.

Escritório leva “casa do futuro” a São José dos Campos
O Atelier O’Reilly Architecture & Partners vai levar uma residência inteligente e 100% conectada, reunindo o que há de moderno em tecnologia e sustentabilidade, para São José dos Campos – cidade brasileira que tem seis décadas de tradição em tecnologia de ponta. O projeto será financiado pelo empreendimento Jardim do Golfe, sediado na mesma cidade, no interior de São Paulo. Batizada de Casa Viva 5 , a residência vai ocupar uma área de 963 m² e terá 450 m² de área construída. O restante do terreno vai ser dedicado ao paisagismo, que pretende se integrar com os 20 mil m² de preservação ambiental existentes no entorno do condomínio. O projeto terá sistemas sustentáveis de abastecimento, utilizando-se de energia solar (para calefação, aquecimento de água e geração de energia elétrica) e de captação de água das chuvas. Os ambientes vão ser iluminados e climatizados naturalmente. O projeto vai contar também com sistema de compostagem, pomar para interagir com a fauna local, horta com temperos e vegetais que se adequam à temperatura da área, cinema no jardim, cobertura verde no terraço. Em um dos quatro quartos, haverá acesso a uma área da cobertura para observação das estrelas. A entrega da obra está prevista para o segundo semestre deste ano. A princípio, a Casa Viva será mantida aberta apenas para visitação.

5
5

Aflalo/Gasperini assina projeto do WT Morumbi
O projeto arquitetônico do WT Morumbi 6 é grandioso: duas torres iguais, mas em posições invertidas, são interligadas em quatro pavimentos por pontes suspensas, além da interligação entre os blocos feita também no pavimento térreo. Cada bloco tem acesso independente e dois conjuntos de elevadores, que caracterizam os dois lobbies de acesso ao empreendimento.

Os pavimentos têm o layout de núcleo de circulação vertical no centro da planta, liberando as áreas junto à periferia do andar e aberturas. O material de fechamento das fachadas é predominantemente de vidro, proposto em duas tonalidades diferentes, com o objetivo de ressaltar os elementos volumétricos. O edifício construído para escritórios corporativos conta ainda com um teatro e um restaurante, que podem ser acessados pelo atrium existente entre as torres.

6