Notícias do mundo da arquitetura

Três projetos brasileiros são selecionados como finalistas do WAF Awards

Três projetos brasileiros são finalistas do WAF Awards, prêmio promovido anualmente pelo World Architecture Festival (WAF). São eles: o Pavilhão Hyundai Aeroporto 1 , em São Paulo, do escritório Spadoni AA, e os projetos da Vila Catuçaba 2 , no interior de São Paulo, e da Casa da Mata, no Guarujá, litoral de São Paulo, ambos do Studio MK27.

O Pavilhão Hyundai está disputando na categoria Exposição, em projetos concluídos. A Casa da Mata e a Vila Catuçaba concorrem na categoria Casa – a primeira, na divisão de obras finalizadas e a segunda, no grupo de patrocinados pela Grohe.

1
Foto: divulgação WAF
2

Ao todo são 343 projetos finalistas, provenientes de 58 países em 32 categorias distribuídas entre projetos concluídos, futuros, de urbanismo e de pequena escala. Entre os selecionados estão nomes como Zaha Hadid Architects, Foster + Partners, Bjarke Ingels Group (BIG), Rogers Stirk Harbour + Partners e MVRDV.

Os vencedores serão anunciados durante o World Architecture Festival, que ocorrerá entre os dias 16 e 18 de novembro de 2016 em Berlim, na Alemanha. Também serão anunciados os vencedores das categorias Edifício do ano e de Projeto futuro do ano. A lista dos finalistas pode ser conferida no site da premiação (www.worldarchitecturefestival.com).

CAU e IAB aprovam detalhes do contrato para a construção de sede conjunta em Brasília

O CAU/BR e o IAB-DF aprovaram no dia 8 de julho o contrato para a criação de uma sede própria a ser dividida pelas duas entidades em Brasília. O edifício será construído pelo CAU/BR em um terreno do IAB-DF.

O local a ser utilizado será o Lote 21 da Quadra 603, do Setor de Grandes Áreas Sul (SGAS). O contrato foi assinado no dia 21 de julho, e o edital do concurso público de arquitetura para o projeto arquitetônico deve ser lançado ainda neste mês. O terreno a ser utilizado foi avaliado pela Caixa Econômica Federal (CEF) em 14,7 milhões de reais. O mesmo valor deverá ser aplicado na construção pelo CAU/BR e 10 milhões de reais já estão disponíveis via receita de capital. Ao final, cada entidade ficará com 50% do terreno e 50% do edifício.

A edificação poderá ser construída em uma ou mais etapas, dependendo do valor orçado para o empreendimento. A área estimada é de 7,5 mil m², sendo 2,5 mil m² em subsolo para garagem, acesso e locais técnicos e 5 mil m² em três pavimentos, além de até 40% das coberturas (quarto pavimentado) para área social útil.

A licitação da construção acontecerá somente após a conclusão do projeto amplo – de arquitetura e complementares -, com exceção dos projetos de programação visual, mobiliário e paisagismo, que poderão acontecer no decorrer da obra.

Casa Vila Matilde, em São Paulo, ganha Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel 2016

O escritório Terra e Tuma Arquitetos Associados venceu o Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel 2016 pelo projeto da Casa Vila Matilde 3 (AU 259), na zona Leste de São Paulo. Os profissionais ganharam uma viagem para Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e um troféu, além de destaque no catálogo da exposição da premiação.

Pedro Kok
3

Em segundo lugar, ficou Cantergiani + Kunze Arquitetos, com o projeto do Edifício Península, em Porto Alegre, e em terceiro, Alexandre Brasil Garcia, do Arquitetos Associados, com o projeto da Galeria Maxita Yano – Claudia Andujar (AU 263), em Minas Gerais. O escritório Vapor 324 recebeu menção honrosa pelo projeto do restaurante Tuju, em São Paulo (AU 249).

O júri era composto pelos arquitetos Daniel Corsi, Gianfranco Vannucchi e Priscyla Gomes, além do economista Carlos Vainer. Foram dez finalistas de 119 inscritos, provenientes de 18 estados brasileiros.

Interiores terão selo de sustentabilidade Aqua-HQE

A Cerway e a Fundação Vanzolini, que coordenam as ações globais do Haute Qualité Environmentale (HQE), estão desenvolvendo o primeiro modelo de avaliação da Alta Qualidade Ambiental dos espaços internos de edificações, o Aqua-HQE Projetos de Interiores.

O selo deverá endossar soluções ambientais nos campos da arquitetura, design, decoração e tecnologia destinadas a escritórios, residências, salas de aula, lojas, halls e áreas internas de hotéis, centros de exposição, museus e grandes espaços comuns.

Na avaliação, serão considerados os aspectos da área construída com o entorno, a adaptabilidade e escolha integrada de produtos, e o ciclo de vida dos materiais, como durabilidade, conservação, manutenção e potencial de reciclagem. Também serão considerados mobiliário e equipamentos, sistemas e processos construtivos, gestão de energia, resíduos de uso e operação, manutenção, conforto, qualidade sanitária e qualidade do ar.

Outra característica fundamental do selo é a concepção, disposição e organização de layouts que privilegiem o acesso a equipamentos de higiene e alimentação, além da acessibilidade plena aos portadores de necessidades especiais.

Quem aderir ao modelo terá de pensar no entorno do espaço durante a obra ou reforma, no uso e na desconstrução. Terá ainda de aplicar o controle do canteiro de obras, com gestão de resíduos sólidos, de energia e de água.

Serão avaliadas as fases de pré-projeto, projeto e execução, com base em 14 objetivos de desempenho, que devem ser atingidos em níveis de base, boas práticas e melhores práticas, ultrapassando as exigências que correspondam à regulamentação vigente.

Conjunto Moderno da Pampulha, projetado por Niemeyer, é declarado patrimônio mundial da Unesco

Projetado por Oscar Niemeyer, o Conjunto Moderno da Pampulha 4 ganhou o título de Paisagem Cultural do Patrimônio Moderno da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciências e a Cultura (Unesco), integrando a lista de patrimônios da humanidade. É o 20º local a ganhar o título no Brasil e o 4º em Minas Gerais.

O complexo está localizado em Belo Horizonte e foi idealizado pelo então prefeito Juscelino Kubitscheck com o objetivo de ser uma obra de arte total, integrando as peças artísticas aos edifícios e à paisagem. O complexo é formado pela Igreja de São Francisco de Assis, pelo Cassino (atual Museu de Arte da Pampulha), pela Casa do Baile (Centro de Referência em Urbanismo, Arquitetura e Design de Belo Horizonte) e pelo Iate Golfe Clube (Iate Tênis Clube), construídos entre 1942 e 1943.

Régine Debatty/flickr
4

A área era, anteriormente, uma antiga fazenda que abastecia a capital mineira. Após ser loteada e urbanizada durante a década de 1940, passou a atrair a atenção de intelectuais e artistas de todo o Brasil, por promover uma integração entre arquitetura, artes plásticas e paisagismo.

O espaço conta com jardins de Roberto Burle Marx, painéis de azulejos de Candido Portinari e esculturas de artistas como Alfredo Ceschiatti e José Alves Pedrosa.

Os edifícios do conjunto foram projetados por Niemeyer inspirados nas concepções do suíço Le Corbusier, criador dos Cinco pontos da nova arquitetura. Desta forma, características como planta e fachada livres, pilotis, terraço jardim e janelas em fita foram valorizados.

No mundo, existem hoje 1.031 bens reconhecidos pela Unesco como patrimônio mundial, entre igrejas, parques, pinturas rupestres, túmulos, castelos, centros históricos, elevadores de navio e sítios arqueológicos.

Três vencedores do Pritzker estão entre os finalistas para recuperação do Museu do Prado, na Espanha

Foram divulgados os oito finalistas do concurso internacional para o projeto de reabilitação arquitetônica e adequação museística do Salão dos Reinos 5 no Museu do Prado, em Madri, na Espanha. Entre eles estão Norman Foster, Rem Koolhaas e Eduardo Souto de Moura, vencedores do Prêmio Pritzker nos anos de 1999, 2000 e 2011, respectivamente. Agora os grupos deverão apresentar as suas propostas mais detalhadas.

Divulgação: Museo Nacional del Prado

Dos 47 inscritos, foram selecionados: Cruz e Ortiz Arquitectos; Nieto Sobejano Arquitectos; B720 Arquitectura + David Chipperfield Arquitects; Office for Metropolitan Arquitecture (OMA); Souto Moura-Arquitectos + Juan Miguel Hernández León – Carlos de Riaño Lozano; Foster and Partners + Rubio Arquitectura; Garces de Seta Bonet Arquitectes + Pedro Feducci Canosa; e Gluckman Tang Architects + Estudio Álvarez Sala + Arquitectura Enguita e Lasso de la Vega.

As propostas deverão ser apresentadas pelos escolhidos até o dia 30 de outubro, e a decisão do júri deve ser divulgada até o final deste ano. Entre os integrantes do grupo julgador estão Luis Fernández-Galiano, María Dolores Jímenez-Blanco, Rafael Moneo Vallés e Fernando Terán Troyano.

Entidades de arquitetura e urbanismo criticam PL que permite estatais contratarem obras sem projeto

No dia 30 de junho, o presidente interino Michel Temer sancionou o Projeto de Lei (PL) 555/2016, sobre a Lei de Responsabilidade das Estatais, que determina, entre outras coisas, licitações de serviço e obras de arquitetura e de engenharia via contratação integrada. O texto é válido para as cerca de 150 estatais da União, 70 de estados, nove do Distrito Federal e dezenas ligadas a municípios, além de sociedades de economia mista e subsidiárias.

De autoria do deputado Arthur Oliveira Maia (SD-BA), a proposta prevê que os conselhos de administração das estatais deverão contar com a presença mínima de 20% dos membros independentes, e seus integrantes serão impedidos de manter relações sindicais, partidárias ou de parentesco com pessoas no comando do poder Executivo ou da própria empresa. O texto ainda ressalta que os indicados para o conselho de administração e diretorias das estatais devem ter experiência profissional mínima de dez anos na área da atuação da empresa; atuação mínima de dez anos em cargo de direção de sociedade empresarial de mesmo porte; e formação acadêmica compatível com o cargo para o qual foi indicado.

Também é estabelecido que as despesas com publicidade e patrocínio da empresa pública e sociedade de economia mista não ultrapassem o limite de 1% da receita bruta do exercício anterior, nem superem 35% das despesas aplicadas em pesquisa e desenvolvimento no mesmo período.

A possibilidade de contratação de serviços e obras via contratação integrada, ou seja, sem exigência de projeto completo, gerou um manifesto assinado por dez entidades nacionais representativas de profissionais da área. São elas: Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU); Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (Sinaenco), Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas (FNA), Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (Asbea), Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo (Abea), Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas (Abap), Associação Brasileira de Consultores de Engenharia (ABCE), Associação Paulista de Empresas de Consultoria e Serviços em Saneamento e Meio Ambiente (Apecs), e Federação Nacional dos Estudantes de Arquitetura e Urbanismo (Fenea).

No documento, as entidades afirmam que o PL 555/2015 “vai em direção oposta ao que parece ser unanimidade entre aqueles que realmente querem procedimentos mais rigorosos e transparência para o desenvolvimento do País, pois incorporou muito pouco dos resultados das discussões havidas, das conclusões e lições propiciadas pelos relatórios do Tribunal de Contas da União (TCU) e investigações em andamento”.

A manifestação ainda ressalta que “o projeto completo é o único documento que possibilita a estimativa confiável do preço justo do empreendimento, e ainda fornece os dados indispensáveis para possibilitar à administração fiscalizar o que contratou, bem como para os órgãos de controle realizarem seu trabalho”. Por fim, propõe a continuidade dos debates em torno da revisão da Lei de Licitações, objeto também de um grupo de trabalho recém-criado pelo Ministério da Transparência.

Estudantes da Unisinos vencem concurso de ideias para Infopoint na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro

O grupo P234 6 , formado por Kim Ritter Veit e Tamara Olivo Goularte, da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), venceu o concurso de ideias do Projetar.org para um centro de informações na orla da praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, durante a Olimpíada de 2016.

Divulgação: Projetar.org
6

O concurso 016 propôs aos estudantes projetarem um local que possa servir como ponto de apoio e centro cultural para a cidade durante os jogos. O trabalho vencedor se inspira em uma tenda. Segundo o memorial descritivo, o projeto busca relações com as formas presentes no entorno. Para que o espaço seja democrático, o ambiente é aberto, permitindo a passagem das pessoas.

A estrutura é modular, o que permite que seja facilmente desmontada e transportada. Todo o piso conta com desenhos inspirados nas formas de Roberto Burle Marx, aludindo aos traços presentes em Copacabana. As cores contrastam com a sobriedade do projeto, e identificam o local como símbolo da Olimpíada de 2016. O projeto conta ainda com os painéis de azulejo do artista Athos Bulcão.

Em segundo lugar ficou o grupo Sopa, formado por Caio Nepomuceno, João Pedro Pujoni Facury, Thomaz Yuji Baba e Lucas Yosuke Leonel Fukuda, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); e em terceiro, o MM2, de Daniela Moro, Gabriel Tomich e Pedro Junger, da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Levaram menção honrosa a equipe _STEDELIJK, composta pelos estudantes Maiara Luchi Camilotti e Pedro Henrique Magalhães, da UFMG; e o Ateliê 57, formado por Ana Carolina Jucá Moreira Dias, Joana da Silva Pacheco, Julia Estellita Vieira e Isabela Rozental, da PUC-Rio.

O primeiro colocado ganhou prêmio no valor de 2,3 mil reais; o segundo, de 1,7 mil reais; e o terceiro, de mil reais. O júri foi formado por Caio Calafate, Vitor Garcez e Caio Smolarek Dias.