Artplan e Dream Factory: Sergio Camargo organizou as duas agências de publicidade em espaço dentro de shopping center no Rio de Janeiro

Instalar 2,5 mil m² de espaços corporativos em um shopping na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, foi a tarefa do arquiteto Sergio Camargo. O projeto previa a implantação de cerca de 400 postos de trabalho, divididos entres duas empresas de publicidade irmãs: Artplan e Dream Factory. Com entradas independentes, ambas compartilham área de apoio, refeitório, almoxarifado, CPD, TI e expedição.

O primeiro desafio foi a climatização. O edifício inteiramente envidraçado possui grande acúmulo de carga térmica. Para isso, além da instalação de um potente sistema de ar-condicionado, todas as janelas receberam persianas microperfuradas tipo roll on. A envoltória permitiu a exposição da marca Artplan, considerada uma das maiores agências de publicidade do Rio de Janeiro, mas pouco conhecida do grande público.

A volumetria interna do edifício e a laje colmeia aparente foram pano de fundo ideal para as ideias contemporâneas do escritório, que definiu integração e fluidez dos espaços. A extensa área de implantação se desenvolve de maneira linear. O acesso principal é feito por uma grande praça de atendimento e convivência que recebe os clientes e os encaminha às salas de reunião, aos eventos internos ou ao café, dispostos à volta da praça e junto às escadas rolantes e elevadores. A exclusividade do espaço de atendimento é reforçada pela presença de dois tipos de piso: bambu carbonizado prensado e porcelanato. O espaço se completa com as monocromáticas salas vermelha e azul para reuniões, com divisórias de vidro e carpetes no mesmo tom, e salas elevadas, nas quais o piso de bambu acaba por recobrir paredes.

Os revestimentos de piso têm grande papel em todo o projeto, alternando as padronagens gráficas dos carpetes, o sóbrio cinza da área de trabalho e o calor do bambu. A partir da área de atendimento, é possível acessar os espaços de trabalho divididos em dois volumes e ligados formalmente por um grande corredor que corre ao longo de uma grande fachada lateral, revestido pelo mesmo piso de bambu da praça de acesso. Esse corredor de acesso/descanso faz um contraponto aos ambientes de trabalho, onde predomina o piso vinílico de 6 mm reposicionável.

Para abarcar cerca de 400 postos de trabalho e manter o conforto térmico e acústico, Sergio Camargo especificou um forro acústico formado por nuvens retangulares, que mantém aparente a laje colmeia de concreto e as instalações. O conjunto do forro é composto por raspas de madeira de reflorestamento, gesso e lã de pet e possui alto poder de absorção acústica. O material pode receber a pintura que for necessária, no caso da Artplan e Dream Factory tornou-se vermelho, branco, azul e amarelo. O uso do forro suspenso só foi possível pelo grande pé-direito do local: 3,80 m entre o piso e a base da cubeta da laje nervurada.

O mobiliário operacional segue a linha informal e contemporânea definida pelo arquiteto. Os tampos madeirados se ligam a estruturas e armários metálicos, ora vermelhos (Artplan), ora azuis (Dream Factory). A luminotécnica completa a ambientação: a iluminação indireta valoriza a laje e as instalações aparentes, ampliando a sensação espacial – os níveis de luz exigidos para as superfícies de trabalho.

REAL ADVERTISING
Installing 2,500 m² of corporate spaces at a mall in Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, was a task that came to architect Sergio Camargo. The project foresaw the implementation of around 400 work stations, shared between to sister advertising companies: Artplan and Dream Factory. With independent entrances, both share the support, canteen, storeroom, CPD, IT and dispatch area. The internal volumetrics of the building and the exposed honeycomb slab were the backdrop for the project, which defined the integration and flow of spaces. The main entrance is made by a large reception and communal square, which receives the clients and leads them to the meeting rooms, to internal events and to the coffee shop, laid out around the square and next to the escalators and elevators. The exclusiveness of the reception space is reinforced by the presence of two types of flooring: carbonized compressed bamboo and porcelain tile flooring. The space is completed with red and blue monochromatic meeting rooms, and overhead rooms, in which the bamboo flooring rises to cover the walls. To embrace around 400 work stations and maintain thermal and acoustic comfort, Sergio Camargo specified an acoustic ceiling formed by rectangular clouds, which keep the concrete honeycomb slab and the installations exposed. The ceiling complex is composed by wood scraps from reforestation, plaster and stone wool membrane and provides high power acoustic absorption. The operational furnishings follow the informal contemporary line defined by the architect. The wooden covers are connected to the red (Artplan) and blue (Dream Factory) metal structures and cabinets.

POR SIMONE SAYEGH FOTOS NELSON KON