Perkins + Will constrói casa em volta de Flamboyant em São Paulo

Perkins + Will constrói casa em volta de Flamboyant em São Paulo

A árvore Flamboyant tem origem da África e foi introduzida no Brasil no século 19. Ela se destaca pela beleza das flores vermelhas e apresenta variedades em tons mais claros. Pensando nisso, uma família paulistana contratou o escritório Perkins + Will para construir sua nova casa, no bairro Alto de Pinheiros, em São Paulo, de forma que o Flamboyant se tornasse a principal personagem do projeto.

O terreno de cerca de 1.000 m² escolhido pelos moradores tinha 50% da área ocupada por um jardim, incluindo a imponente árvore. Por isso, um projeto respeitando todas as condições naturais desse local foi um desafio.

Leia mais

Conforto ambiental e espaço público são privilegiados em projeto de casa-ateliê erguida com alvenaria estrutural no interior de São Paulo

Conforto ambiental e espaço público são privilegiados em projeto de casa-ateliê erguida com alvenaria estrutural no interior de São Paulo

Erguida com alvenaria estrutural aparente, a Casa-Ateliê da Vila Charlote ocupa um terreno estreito e alongado (7 m x 21 m), em Presidente Prudente (SP). As características do lote impuseram desafios ao grupoDEArquitetura na criação do projeto, principalmente ao que se refere à organização espacial da construção de uso misto, que abriga a residência e o escritório de arquitetura da autora deste projeto.

A busca pelo conforto ambiental e a gentileza urbana proporcionada pelo recuo frontal (não obrigatório), que estimula o convívio, são outros aspectos marcantes da obra.

Leia mais

Despretensiosa na linguagem arquitetônica e construída com materiais baratos e simples, casa projetada para ambulante mobiliza comunidade paraguaia para ser erguida

Despretensiosa na linguagem arquitetônica e construída com materiais baratos e simples, casa projetada para ambulante mobiliza comunidade paraguaia para ser erguida

Luis Villasanti, conhecido como Lui, vende chicletes há 45 anos na saída dos colégios de Mariano Roque Alonso, no Paraguai. Falante, alegre e brincalhão, sempre com uma anedota para contar, é querido por toda a comunidade. Tão querido que, quando falou a um amigo que precisava de uma casa própria, cerca de 1.500 pessoas da cidade se mobilizaram para ajudá-lo a erguer sua residência. Projetada pelo escritório Oficina Comunitaria de Arquitectura (OCA), a Vivienda Lui, como foi apelidada a sua casa, de linguagem arquitetônica despretensiosa, foi erguida com a menor quantidade de elementos arquitetônicos e construtivos possível.

“Os materiais são simples e facilmente encontrados no mercado: piso cerâmico e de cimento, tijolos cerâmicos, telhado de zinco e estrutura metálica”, afirma o arquiteto Luis Godoy, diretor do escritório OCA. Ele conta que a busca do essencial acabou se refletindo na casa, materializada pela arquitetura singela. “É uma linguagem que determina uma riqueza no simples, no humano, no local e no necessário”, conta o arquiteto. Leia mais

Integrada com a área da piscina e solta do terreno, casa em Florianópolis privilegia vista do entorno e soluções da arquitetura sustentável

Integrada com a área da piscina e solta do terreno, casa em Florianópolis privilegia vista do entorno e soluções da arquitetura sustentável

Uma residência aberta composta de três volumes prismáticos simples e encaixados, que se desenvolvem ao redor de uma piscina. Assim poderia ser descrita a casa criada pelo escritório Pimont Arquitetura, em Florianópolis (SC), para o cliente que desejava viver em uma construção com atmosfera praiana. A ocupação do terreno em desnível e o partido estrutural que privilegia os grandes vãos favoreceram a integração dos espaços com a área de lazer externa, além da vista do entorno. O projeto também incorpora soluções da arquitetura sustentável, como o teto-verde, sistema de aquecimento solar de água e de captação e uso de águas pluviais.

A entrada acontece por meio de uma passarela de itaúba (madeira densa e resistente), próxima de uma grande árvore com bromélias, que foi mantida no terreno pelo projeto, assim como outras. A passagem suspensa garante acesso dos pedestres ao volume arquitetônico suspenso e solto do terreno. “A implantação tirou partido dos desníveis do terreno para lançar a casa como um volume em balanço sobre a garagem, como se a construção flutuasse sobre aquele espaço”, diz Henrique Pimont, chefe do escritório de arquitetura.

Leia mais

Sutil jogo entre transparência e opacidade, criteriosa escolha de matérias-primas e volumetria baseada em planos bem demarcados são as apostas preponderantes de residência voltada para o mar no litoral catarinense

Sutil jogo entre transparência e opacidade, criteriosa escolha de matérias-primas e volumetria baseada em planos bem demarcados são as apostas preponderantes de residência voltada para o mar no litoral catarinense

O desejo dos clientes era que os materiais usados na construção desta casa em Itajaí, SC, se apresentassem sem disfarces: “Eles queriam que cada elemento revelasse sua aparência original, com o mínimo possível de revestimentos”, conta o arquiteto Marcos Jobim, sócio do escritório Jobim Carlevaro Arquitetos, de Florianópolis, responsável pela elaboração do projeto. A partir dessa ideia, a proposta pautou-se pela busca de beleza estrutural e pela objetividade do uso de materiais – quase nada além de concreto, vidro e madeira.

Outra solicitação foi que as principais aberturas dos quartos e da sala fossem orientadas para o oceano, a cerca de 600 metros dali. As construções do entorno barram a vista, mas não a brisa do mar, propiciando uma agradável experiência sensorial e ventilação natural. A valorização da face leste, que recebe sol pela manhã, foi a responsável pela conquista de luz e calor na medida exata do conforto.

Leia mais

Inspirado no modernismo brasileiro, projeto de residência em Melbourne, na Austrália, tem volumetria longitudinal, de blocos sobrepostos, que expõe, em balanço, a bela aparência do concreto

Inspirado no modernismo brasileiro, projeto de residência em Melbourne, na Austrália, tem volumetria longitudinal, de blocos sobrepostos, que expõe, em balanço, a bela aparência do concreto

Melbourne está na mesma faixa de latitude do extremo sul do Brasil, com clima temperado oceânico de temperaturas médias ao longo do ano que ultrapassam os 20° C – e bastante umidade. Tudo muito familiar para nós, brasileiros. Informações relevantes para quem vai projetar uma residência.

O número de dias ensolarados por ali é maior do que os cinzas e nublados, e a cidade fica localizada na grande baía natural de Port Phillip, voltada para o Pacífico Sul. É sol, é mar; é tudo que um bom projeto modernista precisa.

Leia mais