AH! Arquitetura Humana propõe restaurar edifício para habitação popular em Porto Alegre

AH! Arquitetura Humana propõe restaurar edifício para habitação popular em Porto Alegre

A Assistência Técnica para Habitação de Interesse Social (ATHIS) do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio Grande do Sul (CAU/RS) selecionou um projeto do Sindicato dos Arquitetos no Estado do Rio Grande do Sul (SAERGS) que propõe recuperar um prédio federal abandonado há 50 anos para abrigar 40 famílias de baixa renda bairro Floresta, no centro Porto Alegre.

Os arquitetos e urbanistas responsáveis pelo projeto arquitetônico são Franthesco Spautz, Karla Moroso, Paola Maia Fagundes, Paulo Bicca e Taiane Chala Bedusch, do escritório AH! Arquitetura Humana. O edifício é hoje espaço de ocupação de diversas famílias do Assentamento 20 de Novembro, movimento que ganhou a concessão do direito real de uso do edifício em 2016.

Leia mais

Como trabalhar com projeto de baixa renda

Como trabalhar com projeto de baixa renda

No Brasil, principalmente entre famílias da classe baixa, é comum que os moradores acabem reformando ou construindo suas próprias casas apenas com a ajuda de mestres de obra ou de pedreiros, segundo pesquisa divulgada pelo CAU/ BR em 2015 (AU 259). Para grande parte dos brasileiros, contratar um arquiteto custa caro. Além disso, para Caio Santo Amaro, arquiteto da Peabiru e professor da FAUUSP, a profissão e toda a formação do arquiteto são baseadas em um trabalho mais voltado para a elite, o que acaba afastando os profissionais da população mais carente. “No próprio curso de graduação ainda há a imagem de que um arquiteto bem-sucedido é aquele que pode manter um escritório, que desenvolve projetos autorais. Isso, além de ser uma ideia falsa, afasta a profissão das reais demandas e necessidades da sociedade”, afirma o arquiteto. Leia mais