Livro de urbanismo para crianças é lançado em site de financiamento coletivo

Livro de urbanismo para crianças é lançado em site de financiamento coletivo

Para descobrir os segredos da construção de cada cidade, uma menina e uma capivara partem em uma viagem por 10 espaços públicos do mundo, como o High Line, em Nova York, nos Estados Unidos, e a Avenida Paulista, em São Paulo. Este é o enredo do livro pensado para crianças Casacadabra – Cidades para Brincar, lançado na última segunda-feira (16) no site de financiamento coletivo Catarse pela Pistache Editorial.

Esta é a segunda publicação da série Casacadabra – a primeira apresenta dez casas pelo mundo – e, de acordo com as autoras, Bianca Antunes e Simone Sayegh, leva o leitor a perceber o espaço urbano como um lugar lúdico través de brincadeiras, interatividade e exercícios propostos para se fazer me casa ou na escola. “Queremos incentivar os leitores a perceberem as cidades como vivas e abertas a brincadeiras, como um lugar de encontro e de aprendizado”, contaram as autoras.

Leia mais

Livro sobre as 10 Bienais de Arquitetura de São Paulo está em campanha de financiamento coletivo

Livro sobre as 10 Bienais de Arquitetura de São Paulo está em campanha de financiamento coletivo

O livro “Arquitetura em Retrospectiva” está em campanha até o dia 22 de setembro no site de financiamento coletivo Catarse. A publicação da empresa KPMO Cultura e Arte vai abordar todas as 10 Bienais de Arquitetura de São Paulo, realizadas entre 1973 e 2013.

O livro é resultado da pesquisa acadêmica da arquiteta Elisabete França, formada pela FAU-UFPR em 1980, mestre pela FAU-USP e doutora pela FAU-MACK. A arquiteta iniciou as pesquisas em 2014, quando concluiu a especialização em Curadoria em Arte no Senac.

Leia mais

Ao criar a nova sede do Instituto Brincante em São Paulo, Bernardes Arquitetura opta por um edifício aberto à circulação e à rua

Ao criar a nova sede do Instituto Brincante em São Paulo, Bernardes Arquitetura opta por um edifício aberto à circulação e à rua

Não é de hoje que o Instituto Brincante promove o conhecimento e a assimilação da riqueza cultural brasileira: lá se vão quase 25 anos desde que o casal de artistas Antonio Nóbrega e Rosane Almeida ocupou, com seu teatro-escola, um antigo galpão industrial no coração da Vila Madalena. O risco de ter que deixar a região – tradicionalmente ligada a manifestações artísticas e culturais – veio em 2014, quando o proprietário do imóvel alugado solicitou sua desocupação: o terreno seria vendido a uma construtora. Depois de pleitear na justiça o direito pela permanência e, ainda, levantar um importante debate sobre os edifícios que pouco a pouco tomam nossas cidades, o instituto se viu obrigado a abandonar o endereço.

Começou, então, um novo capítulo nessa história: o da reinvenção. Com o objetivo de arrecadar recursos para a criação de um novo espaço a poucos metros do anterior, foi lançada a campanha #FicaBrincante. Parte da verba veio do Instituto Alana, grande apoiador da causa; outra, do público, captada por meio do site de financiamento coletivo Catarse. O projeto foi assinado e doado pelo escritório Bernardes Arquitetura, que também mobilizou novos parceiros: boa parte das empresas, profissionais e fornecedores envolvidos na obra também não cobrou nada ou apenas o preço de custo.

Leia mais