AH! Arquitetura Humana propõe restaurar edifício para habitação popular em Porto Alegre

AH! Arquitetura Humana propõe restaurar edifício para habitação popular em Porto Alegre

A Assistência Técnica para Habitação de Interesse Social (ATHIS) do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio Grande do Sul (CAU/RS) selecionou um projeto do Sindicato dos Arquitetos no Estado do Rio Grande do Sul (SAERGS) que propõe recuperar um prédio federal abandonado há 50 anos para abrigar 40 famílias de baixa renda bairro Floresta, no centro Porto Alegre.

Os arquitetos e urbanistas responsáveis pelo projeto arquitetônico são Franthesco Spautz, Karla Moroso, Paola Maia Fagundes, Paulo Bicca e Taiane Chala Bedusch, do escritório AH! Arquitetura Humana. O edifício é hoje espaço de ocupação de diversas famílias do Assentamento 20 de Novembro, movimento que ganhou a concessão do direito real de uso do edifício em 2016.

Leia mais

Dois projetos construídos em madeira vencem o Prêmio Ibramem/AMATA

Dois projetos construídos em madeira vencem o Prêmio Ibramem/AMATA

Foram anunciados no final de março os vencedores do Prêmio Ibramem/AMATA de Arquitetura em Madeira 2018, que visa incentivar a utilização do material na construção civil respeitando sua linguagem e enquadramento dentro dos princípios da sustentabilidade. A iniciativa é voltada para estudantes e profissionais das áreas de engenharia e arquitetura e urbanismo de todos os países da América Latina.

Na categoria para profissionais, os ganhadores foram o projeto Moradas Infantis, dos escritórios Rosenbaum e Aleph Zero, e a Casa na Montanha, de Gui Paoliello Arquiteto. Já a categoria para estudantes foi vencida por Daniela Moro e Gabriel Hildebrand Tomich, da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Leia mais

Estudantes da Universidade Católica de Santos ganham concurso para projeto de casa portátil

Estudantes da Universidade Católica de Santos ganham concurso para projeto de casa portátil

A equipe de Igor Augusto Coimbra de Almeida, Caroline de Oliveira Tavares e Matheus Duarte Pardal, da Universidade Católica de Santos (UNISANTOS), no litoral de São Paulo, ganhou o concurso do Portal Projetar.org para o projeto de um abrigo individual portátil destinado à desabrigados. Ao todo, a competição recebeu 142 propostas.

O abrigo deveria contemplar apenas espaço para o desabrigado dormir com conforto e segurança, tendo isolamento térmico para climas quentes e/ou frios, baixo peso e facilidade de montagem/desmontagem. De acordo com o júri, a proposta vencedora é concisa e original, de alta funcionalidade.

Leia mais

Cobertura translúcida sobre estrutura de aço revela as mudanças de cor do céu durante o dia e o projeto de luminotécnica à noite

Cobertura translúcida sobre estrutura de aço revela as mudanças de cor do céu durante o dia e o projeto de luminotécnica à noite

Típico terraço de cobertura de edifício residencial em São Paulo, o espaço que recebeu área gourmet e repaginação da piscina fica no bairro de Moema. Sem muitas possibilidades de uso, a área de 80 metros quadrados não tinha cobertura. O desafio colocado aos profissionais da Macro Arquitetos era o de transformar aquele grande vazio num espaço de permanência agradável, com área de churrasqueira. “O espaço inicial era um terraço vazio com piscina, exatamente como a construtora havia entregue, sem muitas possibilidades de uso, pois não havia cobertura e nem área de churrasqueira. A solicitação do cliente foi ter um espaço para receber amigos à noite e aos finais de semana, com uma pegada descontraída e contemporânea que tivesse elementos rústicos e aconchegantes. As exigências eram ter um espaço coberto para proteger da chuva e vento, mas que mantivesse a iluminação e a vista privilegiada da cobertura”, conta Carlos Duarte, responsável pelo projeto.

Para atender as necessidades dos clientes, a solução foi determinar uma área a ser coberta para receber a cozinha, a churrasqueira e o estar. A estrutura adotada foi de aço com acabamento corten com vedação de vidro, com aplicação de película para proteger do sol. Para criar barreiras para o vento foram desenhadas janelas laterais com possibilidade de abertura total. “Além do fechamento lateral, adotamos como uma exigência estrutural e de conforto pontos de abertura permanentes superiores, entre o fechamento lateral e a cobertura, para garantir a ventilação do local independentemente do fechamento lateral de vidro que estivesse sendo utilizado”, explica Duarte.

Leia mais

As cicatrizes das fôrmas das paredes de concreto são o pano de fundo para o equilíbrio impecável da Casa DR, de Marcos Bertoldi, em Itajaí (SC)

As cicatrizes das fôrmas das paredes de concreto são o pano de fundo para o equilíbrio impecável da Casa DR, de Marcos Bertoldi, em Itajaí (SC)

“Uma caixa de sensações e experiências.” É assim que o arquiteto define o projeto que tem a leveza e a transparência de planos equilibrados e a força do concreto como elementos predominantes. “Interiores em proporções variadas são acessados por percursos verticais e horizontais, onde, a cada momento, a geografia interna dos espaços se revela”, descreve Bertoldi. O deslocamento pela atmosfera criada conduz o olhar através de perspectivas e pontos focais. Percepções conectadas à paisagem externa, natural e construída e moduladas pela luz e pela atmosfera, são percebidas por meio do vazio central proposto e pelas grandes esquadrias presentes nas faces menores do prisma concebido.

O PROJETO
A atmosfera se desenvolve, nos seus espaços principais, em torno de um vazio central que intersecciona os três pavimentos. No andar inferior, este vazio dá lugar a um pátio ajardinado com uma forração de maranta-barriga-de-sapo e uma árvore, e conduz a luz e a ventilação naturais para a garagem, acesso diário dos moradores. Esse vazio possibilita a fluidez da circulação pela casa e permite o acesso visual aos outros ambientes da casa. Há ainda outros dois níveis de ajardinamento, (floreira e pátio).

Leia mais

Residência de descanso em Itatiba, interior de São Paulo, aproveita topografia do lote em proposta geométrica de implantação e projeto que privilegia a entrada da iluminação natural

Residência de descanso em Itatiba, interior de São Paulo, aproveita topografia do lote em proposta geométrica de implantação e projeto que privilegia a entrada da iluminação natural

A cobertura de madeira sobre o volume que integra estar e uma ampla cozinha americana parece flutuar sobre as paredes brancas. As tesouras de madeira, no perímetro da construção fechadas com vidro, tocam a superfície dos planos verticais em pontos específicos e são as responsáveis pela leveza da estrutura. A caixilharia branca de perfis esguios se abre para o verde do lote em desnível, localizado no interior de São Paulo, em Itatiba, no chamado Circuito das Frutas.

A residência foi construída para um casal na faixa de 60 anos, com filhos grandes. Na maior parte das vezes, é utilizada somente nos finais de semana, apenas pelo casal. “Os clientes queriam uma casa térrea, onde os quartos fossem integrados com a área externa, mas que tivesse certo respiro em relação à área social da casa”, conta Felipe Rassini, autor do projeto.

Leia mais