Pedro Varella reforma sobrado geminado no Rio de Janeiro, criando pontos de iluminação natural e aumentando a área da residência | aU - Arquitetura e Urbanismo

Residencial

Pedro Varella . Rio de Janeiro, RJ . 2010/2012

Pedro Varella reforma sobrado geminado no Rio de Janeiro, criando pontos de iluminação natural e aumentando a área da residência

Por Simone Sayegh Fotos Feines Bild (Antonia Cattan e Chistopher Baasner)
Edição 229 - Abril/2013

Pedro Varella . Rio de Janeiro, RJ . 2010/2012

No tradicional bairro do Jardim Botânico, um antigo sobrado geminado da década de 1950 abre espaço para a transparência e liberdade de uma arquitetura contemporânea

Em um sobrado geminado com apenas um pequeno pátio aos fundos, o jovem arquiteto Pedro Varella enfrentou o desafio de fazer nascer uma nova casa que abrigasse confortavelmente seus pais e que tivesse muita luz, elemento indispensável para habitar e humanizar os espaços de moradia. Situado em uma vila operária no terreno da antiga Chácara do Algodão, no Jardim Botânico, zona Sul do Rio, o sobrado de 120 m² foi inteiramente remodelado, expandiu áreas e recebeu um pavimento a mais, totalizando 300 m². Pedro limpou a planta original do térreo, muito recortada por paredes, e expandiu a porção esquerda até os limites do terreno. Nessa área situava-se a garagem, suprimida e transformada nas áreas de estar e jantar, interligadas visualmente. A luz foi obtida com a inserção de três espaços descobertos, que pontuam a planta a partir da rua até o limite posterior e também atendem à legislação que exige pelo menos 20% de área livre na construção. O pátio dos fundos, remanescente original, foi mantido e transformado com tratamento paisagístico e piso de granito cinza levigado.

Um novo pátio envidraçado foi criado para dividir o estar e o jantar, de maneira a criar um prisma de luz em toda a extensão dos pavimentos. Por ser descoberto, Pedro optou por um piso tipo deck, de madeira cumaru, apoiado diretamente no contrapiso, que se destaca em meio ao assoalho de madeira do entorno. Um último pátio foi desenhado na fachada frontal com o auxílio de um muro que protege a intimidade da família e cria um espaço reservado ao ar livre, também dividido por vidro transparente.

Todos esses focos de luz se beneficiaram das paredes inteiramente brancas de todos os ambientes. "O mais relevante nesse projeto é o tema da luz, e o desafio de conduzi-la por meio da arquitetura", explica. Foi essa visão que conferiu à caixa de escadas que leva aos pavimentos superiores um domo de cobertura por onde também flui a luz. Para evitar o bloqueio desses raios, e permitir o máximo alcance da claridade, os degraus da escada metálica que leva ao último andar não possuem espelho, somente um piso de madeira. "Toda a estrutura da escada nova é metálica e muito delgada, assim como os guarda-corpos desenhados para todos os lances", explica Pedro.

O segundo pavimento ficou reservado aos dormitórios. Mais uma vez, Pedro modificou a planta original, criou banheiros e rearranjou as áreas dos quartos. O desenho das janelas dos quartos nasceu no escritório do arquiteto, e confere um destaque particular à arquitetura da casa. O conjunto é formado por robustos caixilhos de madeira que abrigam uma folha de vidro e uma camada de brises verticais pivotantes, que se recolhem conforme a necessidade. "O piso e as esquadrias foram os maiores investimentos nesse projeto", explica. A solução se destaca na fachada branca como um grande requadro de madeira, que cobre a extensão frontal e, junto com os brises, confere uma identidade contemporânea ao sobrado.

Originalmente, a construção foi feita com estrutura de concreto no térreo e tijolos autoportantes no primeiro pavimento, não dimensionados para suportar uma nova laje de piso nem tantos recortes na planta. "A inserção do segundo pavimento exigiu um arcabouço específico, que também auxiliou no suporte estrutural do primeiro andar", explica Pedro. A demanda foi resolvida com uma estrutura metálica independente das paredes perimetrais da casa, formada por oito pilares perimetrais tipo I com fundações próprias, que correm até a estrutura de cobertura do último andar, também metálica.

Nesse piso predomina o uso íntimo, com sala, escritórios e terraço com apoio. Grandes esquadrias piso-teto de madeira sustentam panos de vidros transparentes que dividem o interno do externo. A continuidade espacial promovida pelas aberturas complementa-se pelo deck de cumaru que se prolonga a partir do assoalho, até encontrar uma área de varanda descoberta, revestida por placas de porcelanato técnico antitérmico com acabamento rugoso para permitir maior aderência. "Esse piso permitiu um conforto térmico excelente nos dois dormitórios do andar inferior, já que um simples cimentado provocaria um calor insuportável nesses ambientes", explica. A madeira no andar é reforçada pela presença de pérgulas na parte inferior das vigas metálicas, que protegem a faixa externa do deck e a sala íntima da insolação direta.

LIGHT BETWEEN THE WALLS
In a two-floor town house, young architect Pedro Varella faced the challenge of designing a new home for his parents to live in and that would be very brightly lit. Situated in a workers' cultural heritage village at Jardim Botânico, in the south part of Rio, the 120 m² town house received one extra floor, totalizing 300 m². Pedro cleaned the ground floor's original plan that was cut by too many walls, and expanded the left side up to the property's boundary. The garage was in this area, suppressed and transformed into living and dining areas, visually interconnected. Light was provided with the insertion of three uncovered spaces that split the plan from the street to the back boundary and also complied with the legislation requiring at least 20% of free area. The second floor was reserved for the bedrooms. The drawing of the windows was created at the architect's studio, conferring a particular highlight to the home's architecture. The whole is formed by robust wooden frames holding a glass pane and a layer of pivoting vertical brises. "The insertion of the second floor required a specific framework that also structurally helped supporting the first floor," explains Pedro. This requirement was solved with a metal structure independent from the house's perimeter walls formed by two perimeter pillars type I with their own foundations, running up to the covering structure of the last floor, also metallic. The intimacy ambiances with living room, offices and terrace are in this floor.



Destaques da Loja Pini
Aplicativos