Shopping de conceitos | aU - Arquitetura e Urbanismo

Edifícios

Isay Weinfeld . São Paulo, SP . 2003/2004

Shopping de conceitos

Criação de Isay Weinfeld, a versão paulistana da multimarcas carioca club integra
em um megaespaço moda, tecnologia, design e gastronomia.

Por Simone Sayegh
Edição 119 - Fevereiro/2004

Recém-inaugurada em São Paulo, a loja multimarcas Club Chocolate foi feita sob medida para abrigar lançamentos nas áreas de moda, decoração, música, literatura e eletrônicos, e ainda oferecer gastronomia de qualidade aos clientes.

Quem caminha pela calçada da rua Oscar Freire, endereço paulistano de famosas - e caras - grifes internacionais, não pode deixar de se interessar pela grande porta automática disposta no fim de um intrigante túnel ascendente de madeira. A discreta fachada da loja, com quase 5 m de altura e revestida de uma pintura de cor amarelada, só faz instigar mais a curiosidade.

O corredor de madeira que serve como acesso é acompanhado por uma vitrine lateral e conduz à porta automática que, ao abrir, revela uma claridade incomum em espaços comerciais dessa natureza. Quem é curioso o bastante para descobrir de onde vem essa luz é surpreendido por uma passarela suspensa a 3 m de altura e revestida de aço inox. A partir da passarela é possível ver as grandes aberturas zenitais responsáveis pelo banho de luz.

Dali também se observam os quatro andares da loja - inclusive as grandes palmeiras plantadas no espaço paisagístico criado no subsolo, onde foi montado um restaurante francês. "Sempre procuro inserir em meus projetos o elemento surpresa, o inusitado, a descoberta", diz Isay Weinfeld.

A Club Chocolate carioca, no Fashion Mall, já é um tradicional espaço de lançamento de tendências de moda e de design. Também concebida para integrar diferentes produtos, abriga um restaurante italiano no seu interior. Quando os proprietários resolveram trazer o conceito para São Paulo, encontraram uma área ideal na rua Oscar Freire e chamaram o arquiteto Isay Weinfeld para transformar o lugar. "Nós nos entendemos perfeitamente e em cerca de três meses já era possível iniciar a execução do projeto", conta Weinfeld. Foi um processo rápido até a inauguração da loja, no início de janeiro de 2004. A construtora Fairbanks & Pilnik consumiu cerca de 5 meses para finalizar a megaloja.

A abertura na discreta fachada dá acesso a um túnel revestido de madeira e percorrido por uma vitrine lateral. No fim do corredor já se vislumbra a escada em caracol revestida de aço e as palmeiras plantadas no primeiro subsolo que acomoda o restaurante

A edificação tem 1,8 mil m² de área construída. Ao intervir no prédio, Isay Weinfeld acrescentou três lajes de 25 m x 5,40 m que complementaram a área das existentes. Assim, a área total de cada pavimento é de quase 400 m2, com pé-direito de 2,40 m.

As novas lajes estão suspensas por uma estrutura metálica atirantada, solução que dispensou o uso de pilares, deixando mais liberdade espacial para o restaurante. Além disso, as lajes estão engastadas apenas nas paredes transversais do prédio, o que confere leveza aos pavimentos e garante incidência de luz natural em ambos os lados das áreas de exposição de produtos.

A comunicação entre os andares é feita por um elevador hidráulico e por uma grande escada em caracol posicionada junto ao fim do grupo de lajes de perímetro retangular. A forma curva da escada inteiramente revestida com aço escovado define um volume de destaque em meio a um espaço que privilegia os ângulos retos. Os pisos suspensos, vedados apenas por guarda-corpos, formam uma espécie de fachada avarandada voltada para um amplo espaço de pé-direito quádruplo, onde palmeiras gigantes elevam-se a partir de uma espessa camada de areia colocada no subsolo.

Para completar o quadro tropical, o arquiteto criou um painel de mosaico português com desenhos que aludem às ondas que decoram os calçadões do Rio de Janeiro. "É uma maneira de sinalizar a origem carioca da loja."

Espaços funcionais, como os caixas para pagamento, localizam-se em uma sala reservada anterior ao início da área de exposição de cada andar. Já os espaços destinados aos provadores, verdadeiros boxes brancos e acarpetados, estão localizados no fim de cada pavimento.

Os revestimentos de madeira, aço inox e pintura branca são empregados em toda a loja e destacam-se ainda mais com a iluminação natural. As lajes suspensas apresentam forro e piso de perobinha e guarda-corpos de vidro laminado de 20 mm e madeira. No restaurante, com mobiliário também projetado pelo escritório de Weinfeld, o piso foi revestido com uma resina poliuretânica branca. A iluminação artificial foi resolvida com luminárias instaladas nas laterais internas do domo de iluminação zenital e embutidas no forro dos níveis de exposição dos produtos.

A classificação dos produtos e a definição dos estilos ficaram a cargo do diretor de arte Giovanni Bianco, que concentrou no máximo dois estilos diferentes por piso e determinou os andares mais adequados para a exposição das diferentes peças. O mobiliário acompanha o perfil dos andares. Parte das peças utilizadas foi projetada pelo escritório de Isay Weinfeld, e outras, antigas e novas, foram "garimpadas" em lojas especializadas. "Combinei cestos de plástico amarelo com araras de aço inox projetadas por mim", conta Weinfeld.

A loja Club Chocolate da rua Oscar Freire é um belo exemplo do resultado da integração da arquitetura a outras manifestações culturais, como a moda e o design.

Três lajes foram acrescentadas para complementar a área das existentes. As novas lajes são suspensas por uma estrutura metálica atirantada, o que dispensou o uso de pilares. Além disso, as lajes estão engastadas apenas nas paredes transversais do prédio, para assegurar a passagem de luz natural proveniente das aberturas zenitais



FICHA TÉCNICA
Arquitetura: Isay Weinfeld
Colaborador: Domingos Pascalli
Cálculo Estrutural: Kurkdjian & Fruchtengarten
Construção metálica: Poliaço
Construção: Fairbanks & Pilnik
Paisagismo: Isabel Duprat
Projeto Luminotécnico: Companhia da Iluminação

AU leituras
AU 51 - residência Terepins, de Isay Weinfeld
AU 68 - edifício Metrópolis, de Isay Weinfeld e Marcio Kogan
AU 93 - loja Forum, de Isay Weinfeld
AU 103 - residência Inglaterra, de Isay Weinfeld
AU 106 - casa noturna Disco, de Isay Weinfeld

Veja também

aU - Arquitetura e Urbanismo :: aU Educação :: ed 244 - Julho de 2014

TCU de Alagoas, de João Filgueiras Lima, Lelé