Vaticano convida a arquiteta brasileira Carla Juaçaba para projetar capela na Bienal de Veneza 2018

A arquiteta brasileira Carla Juaçaba foi selecionada pelo Vaticano para projetar uma capela na Bienal de Arquitetura de Veneza 2018, que acontecerá a partir de maio na Itália. Além dela, outros nove grandes profissionais da área também apresentarão seus trabalhos: Eduardo Souto de Moura (Portugal), Norman Foster (Inglaterra), Smiljan Radic (Chile), Javier Corvalán (Paraguai), Flores & Prats (Espanha), Francesco Celini (Itália), Sean Godsell (Austrália), Andrew Berman (Estados Unidos) e Teronobu Fujimori (Japão).

As capelas serão construídas ao lado da famosa basílica do arquiteto Andrea Palladio, de 1573. A intenção do Vaticano é que sejam desmontadas ao final da Bienal e reconstruídas nas comunidades italianas que sofreram com os terremotos dos últimos dois anos.

O projeto de Carla Juaçaba terá uma estrutura com quatro vigas de seção quadrada de 12 por 12 centímetros e com oitos metros de comprimento, que serão montados sobre dormentes de concreto a cada metro, elevando a capela do chão. O projeto forma uma cruz em pé e uma cruz deitada, sendo que esta última pode ser utilizada como banco.

As vigas são feitas em aço inox polido, transformando-as em espelhos que refletem o entorno: a Capela pode desaparecer num certo momento dependendo dos reflexos do sol e das árvores. Para a arquiteta, por fim, o espaço entre as copas das árvores – a visão do céu – funciona como o teto da capela.

Carla Juaçaba possui um escritório no Rio de Janeiro desde 2000, trabalhando com foco em programas habitacionais e culturais. A arquiteta se notabilizou por projetar o Pavilhão Humanidade 2012 durante o Rio+20, em parceria com Bia Lessa.

Por Gabriel Gameiro