Elizabeth de Portzamparc assina projeto do Musée de la Romanité, na cidade francesa de Nimes

O Musée de la Romanité, assinado arquiteta francesa Elizabeth de Portzamparc, foi inaugurado no final de agosto na cidade de Nimes, na França. O edifício permite ao visitante uma vista panorâmica da Arena de Nimes, um anfiteatro de 27 a.C., apenas um dos muitos monumentos romanos da cidade.

O museu se destaca pelo desenho da fachada que transmite leveza devido as ondulações fluídas e horizontais feitas com 6.709 lâminas de vidro em uma superfície de 2.500 m², relembrando uma toga romana. Para elaboração da fachada foram necessárias três etapas: um preenchimento leve em painéis de concreto celular; um revestimento metálico para assegurar a impermeabilização e isolação térmica exterior; e uma cobertura em material de vidro apoiada sobre uma estrutura de aço, que juntos, resultam em uma espécie de filtro de raios de sol mais fortes.

O prédio, por sua vez, foi estruturado em concreto armado visando adaptação às condições sísmicas de forma simples, resultante do uso de núcleos de circulação verticais como suporte. Há também grandes vãos entre os pilares, que além de permitir um espaço maior para as exposições leva a impressão de uma arquitetura mais leve e aérea.

Com toda essa estrutura, o museu com 9.200 m² de área será capaz de expor 5.000 obras, dentre uma coleção de aproximadamente 25.000 peças, além de um auditório com 180 lugares, livraria, sala de recepção, restaurante, café e um jardim de 3.400 m².

A previsão de abertura do empreendimento ao público é para junho de 2018. As obras foram orçadas em 59,5 milhões de euros.

FICHA TÉCNICA

Endereço: Boulevard des Arènes – 30 000 Nîmes

Programa: Museu / Centro de documentação / auditório / escritórios / café / loja / restaurante / jardim arqueológico

Responsável pelas obras: Prefeitura de Nîmes

Responsável técnico: 2Portzamparc

Arquiteta: Elizabeth de Portzamparc

Museografia: EDP et Associés – Concepção: Elizabeth de Portzamparc

Diretores de projeto: Alexandre Belle (Diretor do projeto de museografia); Aldo Ancieta (Diretor do projeto do edifício); e Sarah Coriat (Gerente do projeto do edifício)

Arquiteto dos Monumentos Históricos: Alain-Charles Perrot Arquitetos associados A+ Architecture – Gilles Gal (Architecte associé); Julie Couderc (Directrice des travaux)

Paisagismo: Méristème – Régis Guignard

ESTUDOS TÉCNICOS

Economista: L’Echo

OPC: Arteba

Normas HQE: Celsius Environnement

Estrutura: Sarl André Verdier

Fachada: RFR

Fluidos: Louis Choulet

Iluminação: Lightec e Stéphanie Daniel

Acústica: Gamba Acoustique

Multimídia: Mardi 8

Síntese: C&G

Segurança e acessibilidade: CSD Faces

Sinalização: Locomotion e Je Formule

Área 10.500 m² SHON / 9.100 m² SDP

Calendário Concurso: dezembro de 2011 / março de 2012

Duração das obras: 33 meses (construção) + 7 meses (museografia)

Entrega: edifício 31 de agosto de 2017 / Final em fevereiro de 2018, abertura ao público em junho de 2018

Por Gabrielle Vaz, do Portal PINIWeb.