Rafael Moneo é premiado com Praemium Imperiale de Arquitetura em 2017

O arquiteto espanhol Rafael Moneo foi anunciado na última terça-feira (12) como vencedor do Praemium Imperiale de Arquitetura de 2017, promovido pela Associação de Artes do Japão. Na ocasião foram anunciados também os premiados nas categorias Pintura, Escultura, Música e Teatro/Cinema: Shirin Neshat, El Anatsui, Youssou N’Dour e Mikhail Baryshnikov, respectivamente.

Moneo se formou em 1961 pela Escola de Arquitetura de Madri, na Espanha, e lecionou na Escola de Arquitetura de Barcelona (1970) e na de Madri (1980). Com mais de 30 obras, grande parte distribuída na capital espanhola, o arquiteto já recebeu nove prêmios de arquitetura, como o renomado Prêmio Pritzker, em 1996, e a Medalha de Ouro do Royal Institute of British Arts (RIBA), em 2003. Atualmente, Moneo leciona na Escola de Design de Harvard, nos Estados Unidos.

Com obras que se destacam pelo uso de tijolos e pedras, o arquiteto tem em sua lista mais recente o Laboratório de Ciências para a Universidade de Columbia (2010), em Nova York, o Edifício do Souk (2012), no centro comercial de Beirute, o Palácio de Congressos El Greco (2012), em Toledo e o Museu da Universidade de Navarra (2015), na Espanha. Outros projetos de destaque são a estação ferroviária Atocha (1992) e a expansão do Museu do Prado (2007), ambos em Madri, e a Catedral de Nossa Senhora dos Anjos (2002), em Los Angeles.

Em 1974, ainda sob a ditadura de Francisco Franco na Espanha, Rafael ajudou a fundar a revista Arquitecturas Bis, junto com Oriol Bohigas. Em 2005, publicou o livro Inquietação teórica e estratégia projetual, que foi traduzido para sete idiomas, entre eles o português.

O Praemium Imperiale tem o objetivo de reconhecer e homenagear profissionais do mundo inteiro. Na categoria Arquitetura já foram contemplados nomes como Paulo Mendes da Rocha (2016), Dominique Perrault (2015), Steven Holl (2014) e David Chipperfield (2013).