Shigeru Ban faz parceria com a ONU e vai projetar moradias para 20 mil refugiados no Quênia

O arquiteto japonês Shigeru Ban firmou uma parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU) para projetar um modelo de moradia e atender cerca de 20 mil refugiados que vivem atualmente no campo de Kalobeyei, no Quênia. De imediato, o projeto será testado em 20 abrigos para avaliar sua viabilidade. Caso se consiga o êxito, as estruturas atuais serão substituídas pelo modelo do arquiteto.

Com grande parte dos refugiados originados da Somália e do Sudão do Sul, o campo de Kalobeyei foi desenvolvido em 2015 devido ao trabalho conjunto do governo do condado de Turkana e da Agência da ONU para Refugiados. O local que abriga cerca de 37 mil pessoas, tem capacidade para receber até 45 mil indivíduos, porém o fluxo de refugiados tende a ultrapassar este número.

“O ponto principal será construir abrigos que exijam pouca ou nenhuma supervisão técnica, e usar materiais ecológicos e disponíveis nos arredores. É importante que as casas sejam facilmente conservadas por seus moradores”, frisou o arquiteto durante a visita técnica realizada no local do projeto.

Entre as maiores dificuldades está a localização do acampamento, que não possui o acesso a voos comerciais para o campo de Kalobeyei, resultando em um trajeto de até três horas da capital Nairóbi, onde serão extraídos alguns dos materiais necessários.

Vale destacar também que, devido a quantidade de refugiados no local, grande parte das casas já estão com a estrutura corrompida, fora a escassez de água, o desmatamento, as temperaturas elevadas e enchentes durante os períodos de chuva, que podem resultar em limitações para a execução do projeto.

“O design do abrigo deve, ao mesmo tempo, respeitar as regras nacionais de habitação e responder, de maneira responsável, às condições climáticas locais e aos desafios, provendo soluções sustentáveis e reproduzíveis aos abrigos”, comentou o coordenador de projeto do Programa das Nações Unidas para Assentamento Humanos (ONU-HABITAT), Yuka Terada.

Shigeru Ban possui um grande histórico de projetos que visam a ajudar pessoas em situações precárias, sendo reconhecido com o Prêmio Pritzker de 2014. Entre os trabalhos, está o abrigo feito de papel para quase dois milhões de refugiados de Ruanda, na década de 1990, após a guerra civil no país.

O arquiteto também desenvolveu em países como Itália, Turquia e Nepal, dezenas de projetos composto por materiais como papelão, madeira e engradados de cerveja, para abrigar refugiados que foram obrigados a se deslocar dos seus países.

Por Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb.