Previsto para 2018, Museu Casa do Pontal, no Rio de Janeiro, tem projeto assinado pelo Arquitetos Associados

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou recentemente o apoio de R$ 4,6 milhões à Associação dos Amigos da Arte Popular Brasileira, que será direcionado a museologia da nova sede do Museu Casa do Pontal, localizada na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Com previsão de entrega para 2018, o edifício tem projeto assinado pelo escritório Arquitetos Associados.

O objetivo da arquitetura foi criar um local com capacidade para receber exposições, que tenha uma instalação completa para seus visitantes e que interaja com a paisagem ao seu entorno. Dessa forma, o museu terá área total construída de 4.962,18 m², um bosque no seu entorno com um lago e vista para a Pedra da Gávea.

Se elevando em relação ao jardim e o lago, a nova sede utiliza estrutura modular com concreto armado, vigas metálicas e fechamentos leves. Todo o edifício terá um percurso expositivo com interação controlada aos jardins, bem como espaços com diversidade de altura, luz, introspecção e abertura. O pátio central, por sua vez, será responsável inicialmente por receber exposições temporárias.

A área administrativa ficara com as fachadas sul e oeste, com um depósito de pé-direito alto para carga e descarga com acesso rápido à sala de exposição temporária. De forma centralizada, ao seu redor será possível acessar pela sua esquerda guarda-volumes, sanitários, elevador e a administração. Á direita será instalado o balcão de recepção, exposição permanente, sala de leitura, loja e escada para o café.

Após sua entrega, o museu receberá uma exposição permanente com mais de 3.500 obras de artistas brasileiros, com legendas e textos explicativos em português, inglês e francês. Haverá também ilhas informativas interativas e vitrines iluminadas por LED, visando a sustentabilidade ambiental e a redução de custos.

Vale lembrar que o Museu do Pontal é considerado o maior museu de arte popular do País e tem seu acervo tombado como patrimônio cultural brasileiro desde 1991.