Edifício do MASP receberá US$ 150 mil para criação de plano de manutenção e conservação

O Museu de Arte de São Paulo (MASP), projetado pela arquiteta Lina Bo Bardi em 1957, está entre os 12 edifícios selecionados em 2017 pelo programa Keep it Modern, da Fundação Getty. A iniciativa direciona recursos para a manutenção e a conservação de construções modernas do século XX.

O MASP foi inaugurado em 1968 na Avenida Paulista, em São Paulo, e é reconhecido mundialmente pelo grande vão de 70 metros. Os quatro pilares maciços, sustentam o prédio acima do solo, com uma área aproximada de 10 mil m².

O museu receberá 150 mil dólares (cerca de R$ 468 mil) para criar um plano integrado de conservação e manutenção que forneça recomendações específicas a longo prazo. Recentemente, o MASP passou por diversas intervenções para combater infiltrações de água, lascamento de concreto e problemas de tensão com os feixes estruturais, porém os serviços ainda continuam.

Além da construção brasileira, foram contemplados outros 11 edifícios: Igreja da Catedral de São Miguel, na Inglaterra (sem valor informado); a Câmara Municipal de Boston, com subsídio de US$ 120.000; Complexo de Banho Termais, no Marrocos, com US$ 150.000; Yoyogi National Gymnasiumn, no Japão com US$ 150.00; Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica do Oriente Médio (METU), em Ancara, com US$ 100.000; Seminário de São Pedro, Escócia, com £ 112.000; Museu do Governo e Galeria de Arte, na Índia, com US$ 150.000; Price Towers Arts Center, em Oklahoma, com US$ 75.000; Museu de Arquitetura do Estado de Schusey, na Rússia, com US$ 120.000; Edifício Bauhaus, na Alemanha, com € 135.000; e Stadio Flaminio, em Roma, com € 161.000.

Em 2015, o programa de financiamento patrocinou obras em 14 edifícios, incluindo dois brasileiros o prédio da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP), em São Paulo, e do Pavilhão Arthur Neiva, no Rio de Janeiro.

Por Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb.