Codhab-DF ganha prêmio por adoção de concursos públicos para a seleção de projetos de arquitetura

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab-DF) recebeu na última quinta-feira (24) o Selo de Mérito da Associação Brasileira de Cohabs e Agentes Públicos de Habitação (ABC) pela adoção de concurso público para seleção de projetos de arquitetura e urbanismo desde 2016.

Ao todo, nove competições já foram concluídas no período: Centro de Ensino Infantil (CEI); Centro de Ensino Fundamental (CEF); Unidade Básica de Saúde (UBS); unidades habitacionais coletivas na Quadra 700 em Sol Nascente; unidades habitacionais coletivas em Samambaia; edifícios de uso misto, com unidades habitacionais e comércio, na região administrativa de Santa Maria; edifícios de uso misto na Quadra 105 no Sol Nascente; unidades habitacionais coletivas em Sobradinho; e projetos de arquitetura para habitação de interesse social para replicação no Distrito Federal.

Além desses, ainda estão abertas as inscrições para o Concurso Público Nacional de Projetos de Urbanismo e Arquitetura no Setor Habitacional Pôr do Sol, em Ceilândia, que vai selecionar o desenho urbano para uma área desocupada que terá até 1.518 unidades habitacionais. O prêmio é de R$ 60 mil ao vencedor, além de contrato de R$ 4,38 milhões. Clique aqui e saiba mais.

“Foi uma vitória conseguirmos implementar os concursos públicos para projeto e, cada vez mais, temos certeza que fizemos a escolha certa e que assim podemos atender às demandas da população”, disse o arquiteto e presidente do Codhab-DF, Gilson Paranhos.

As competições de projeto vêm ganhando maior visibilidade pelo setor público no País e é defendida pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) e demais entidades da área por acreditarem que a seleção traz mais eficiência e transparência. “A modalidade é a única que permite a contratação de projetos por critério de qualidade, democratiza o acesso ao trabalho e possibilita ao contratante analisar a proposta antes de contratá-la”, comenta o presidente do CAU, Haroldo Pinheiro. “Em 45 dias após a publicação do edital, o contratante já tem o estudo preliminar com as definições gerais do projeto”, complementa.