Bienal de Arquitetura de São Paulo abre chamada pública para selecionar projetos e trabalhos

A 11ª Bienal de Arquitetura de São Paulo está promovendo chamadas públicas para a seleção de trabalhos e projetos que vão participar do evento. Poderão participar arquitetos e urbanistas (individualmente ou em grupo), escritórios, estúdios e coletivos de arquitetura, dentro dos temas: Imaginário da Cidade, Faculdades de Arquitetura e Estudos Urbanos, Utilidade Pública e Arquitetura Urbana.

Em Imaginário da Cidade, a bienal busca grupos atuantes que reconheçam realidades urbanas em diversas perspectivas e apresentem diferentes imaginários de cidade em formatos como registro audiovisual, fotográfico, cartográfico, performático etc. As inscrições vão até 27 de agosto. Já em Faculdades de Arquitetura e Estudos Urbanos, cujos trabalhos podem ser enviados até 3 de setembro, a chamada é direcionada a estudantes de arquitetura e disciplinas relacionadas aos estudos urbanos (design, ciências sociais, geografia, antropologia, sociologia, saúde pública, psicologia, serviço social, artes plásticas entre outros).

Em Utilidade Pública, são procurados trabalhos desenvolvidos atualmente, que discutam a utilidade pública da arquitetura, propondo a ampliação das frentes de atuação do arquiteto e a utilização de novas ferramentas, com o objetivo de colaborar na transformação, adequação, edição e qualificação do espaço urbano frente aos desafios enfrentados pela metrópole contemporânea. Essa chamada pública é aberta até 3 de setembro. Em Arquitetura Urbana, por fim, poderão se inscrever até 15 de setembro projetos que provoquem reflexões sobre como seu desenho impacta o espaço da cidade. Trata-se de promover reflexões acerca de arquiteturas construídas desde o ano de 2000, a fim de pensar de que maneira impactaram, transformaram e/ou qualificaram o espaço urbano, seus usos e experiência cotidianos, na escala do edifício.

A edição deste ano também irá percorrer os 120 km da cidade, passando por diversas instituições com programação cultural, além de um percurso que poderá ser visitado a pé, convergindo com espaços culturais e espaços abertos no centro da cidade, com exposições e demais atividades. “A 11ª Bienal de Arquitetura mira uma série de ações realizadas por grupos atuantes, articulando-as em um projeto comum e colaborativo. Encarada como um processo, a Bienal se propõe a articular o conhecimento existente e sugerir caminhos para a atuação Em Projeto, a fim de deixar um legado para a cidade”, disse o diretor de Conteúdo da Bienal, Marcos Rosa.

As inscrições dos trabalhos da chamada pública podem ser feitas clicando aqui.